quinta-feira, 17 de Janeiro de 2013

Ervas aromáticas exportadas das Calhetas para o Continente

Paulo Faustino / Regional / 16 de Jan de 2013, 18:32


602 visualizações

Quinta de família de Viseu envia até 500 quilos de ervas aromáticas,
como o manjericão e cebolinho, para grandes cadeias

Do solo que compõe 2 hectares (ha) de terreno na freguesia das
Calhetas, concelho da Ribeira Grande, são exportadas semanalmente para
o território continental entre 300 a 500 quilos de ervas aromáticas,
sobretudo manjericão e cebolinho, que abastecem grandes superfícies
comerciais das marcas Continente, Jumbo e Pingo Doce.
A exploração da família Pinto, originária e com interesses
empresariais na zona de Viseu - onde possuem outro empreendimento do
género, com mais de 30 ha - tem a particularidade de estar certificada
na agricultura biológica e de possibilitar a venda direta de produtos
verdes a pessoas que se desloquem com esse fim à quinta. Glória Pinto,
empresária agrícola, de 53 anos, justifica o investimento nos Açores,
orçado em 800 mil euros e liderado pelo filho, com a existência de
condições climatéricas favoráveis em São Miguel e porque constitui uma
vertente complementar ao negócio principal, já montado no Continente.
Glória Pinto divide o seu tempo entre Viseu e São Miguel, onde, na
ausência do filho - por viajar algumas vezes em serviço - tem de
zelar pelo bom funcionamento da quinta e garantir atempadamente e nas
quantidades corretas, a expedição por via aérea das encomendas feitas.
São encomendas provenientes de hipermercados e unidades hoteleiras,
como também por pequenos e grandes estabelecimentos comerciais, a
nível local e regional.

http://www.acorianooriental.pt/noticia/ervas-aromaticas-exportadas-das-calhetas-para-o-continente

Sem comentários:

Enviar um comentário