sábado, 3 de março de 2012

Fevereiro com mais fogos do que Agosto do ano passado

1 de Março, 2012
O mês de Fevereiro registou mais fogos florestais do que os meses de
Agosto do ano passado, segundo o relatório provisório de incêndios
florestais de 2011 da Autoridade Florestal Nacional (AFN) e dados da
Protecção Civil.
O relatório da AFN, datado de 31 de Outubro de 2011, refere que em
Agosto deflagraram 3.982 incêndios florestais, enquanto a Autoridade
Nacional de Protecção Civil (ANPC) registou, em Fevereiro deste ano,
4.186 fogos, valor também muito próximo das ocorrências de Julho de
2011 (4.342).
Ao longo do último mês de Fevereiro ocorreram uma média de 144
incêndios por dia, de acordo com a ANPC.
Comparando ainda com os dados com 2011, nos dois primeiros meses deste
ano os incêndios florestais aumentaram sete vezes mais em relação ao
mesmo período de 2011.
Em Janeiro e Fevereiro deflagraram um total de 4.587, enquanto nos
mesmos meses do ano passado ocorreram 593.

PS: António José Seguro ouviu hoje, em Beja, as preocupações dos "homens da terra"

Regional | 07:00 | 01-03-2012
António José Seguro ouviu hoje, em Beja, as preocupações dos "homens
da terra". A seca que está a afectar a região e as obras paradas do
regadio de Alqueva foram as preocupações transmitidas ao
secretário-geral do PS.
Castro e Brito para além de ter reafirmado aquelas preocupações voltou
a pedir à ministra da Agricultura que venha "ao Alentejo constatar in
loco os problemas que se estão a enfrentar"
António José Seguro reuniu hoje de manhã, em Beja, com dirigentes
agrícolas e visitou explorações, com as atenções centradas em Alqueva.

Seca agrava-se depois de Fevereiro mais seco dos últimos 80 anos

Meteorologia
01.03.2012 - 11:43 Por Ricardo Garcia
Votar | 0 votos 6 de 13 notícias em Sociedade« anteriorseguinte »
A situação piorou desde 15 de Fevereiro (Foto: Carlos Lopes)
A seca em Portugal agravou-se e já é "severa" ou "extrema" em todo o
território continental, segundo o balanço mais recente do Instituto de
Meteorologia. O país teve o Fevereiro mais seco desde 1931.
A quantidade de precipitação em todo o país no mês passado foi mínima:
apenas 2,2 milímetros, contra cerca de 100 milímetros de valor médio.
Nunca choveu tão pouco em Fevereiro desde que há séries fiáveis e
comparáveis de registos meteorológicos. Mesmo em 2005, data da última
grande seca no país, choveu mais: 19,7 milímetros.

Instituto Nacional da Água recusa que Portugal esteja em seca hidrológica

Arlinda Brandão
01 Mar, 2012, 09:44 / atualizado em 01 Mar, 2012, 10:57

O Instituto Nacional da Água rejeita qualquer comparação com a seca de
2005, a pior dos últimos 40 anos, afirmando que há bastante água
armazenada.
Em entrevista à Antena1, Rui Rodrigues, do Sistema Nacional de
Informação de Recursos Hídricos, esclarece que, apesar do país viver
uma seca meteorológica, não há uma seca hidrológica. Porém, Rui
Rodrigues admite que, caso não chova nos próximos três a quatro meses,
no início do Verão algumas localidades terão de que ser abastecidas
por autotanques.

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=531710&tm=8&layout=123&visual=61

Perto de 1500 investidores estrangeiros procuraram negócios na feira de Lisboa

Foram três dias de contactos entre empresas e investidores estrangeiros. Com cerca de 1500 visitantes acreditados, terminou hoje a maior feira de promoção internacional de produtos agro-alimentares portugueses, onde negociar foi a prioridade. 29.02.2012 21:57

“Nem sempre a produção nacional tem capacidade para abastecer as cadeias ao longo do ano”

MARKETING :: NOTICIAS
1 de Março de 2012 às 00:15:55, por PEDRO DURÃES
Quem o diz é Paulo Nunes de Almeida, vice-presidente da AEP, entidade
responsável pelo projecto "Compro o que é nosso", que defende as
cadeias de distribuição no que diz respeito à proveniência dos
produtos de marca própria. "As próprias cadeias são obrigadas a
recorrer ao mercado internacional", aponta, como resultado deste
facto. Ainda assim, considera o responsável, "as marcas próprias têm
vindo a privilegiar cada vez mais a produção nacional. Por exemplo, a
grande maioria das marcas Auchan já têm o símbolo "Compro o que é
nosso" porque nos últimos dois anos a cadeia investiu imenso na
relação com a produção nacional", exemplifica, em declarações no
âmbito de um artigo sobre a portugalidade como estratégia de marca,
publicado na edição impressa do M&P.
Meios & Publicidade (M&P): Muitas marcas têm vindo a apostar na
portugalidade e no facto de serem produzidas em Portugal como factor
preponderante nas suas estratégias de comunicação. Este argumento
funciona?

Seca: Ministério da Agricultura só assinala zonas prioritárias depois de avaliação exaustiva - relatório

21:22 Quinta feira, 1 de março de 2012
Lisboa, 01 mar (Lusa) - O Ministério da Agricultura defendeu que só
depois da avaliação exaustiva dos efeitos da seca no país poderá
"canalizar esforços" para zonas prioritárias, mas admite no relatório
de acompanhamento da situação a antecipação de ajudas.
No primeiro relatório do grupo de acompanhamento e avaliação dos
impactos da seca 2012 hoje divulgado, lê-se que falta uma "avaliação
qualitativa exaustiva" ao nível da diminuição de produção e de
rendimentos porque os efeitos da seca são cumulativos.

Assunção Cristas: Portugal irá defender a manutenção de quotas de leite

inShareA ministra da Agricultura, Assunção Cristas, assegurou hoje, em
Angra do Heroísmo, nos Açores, que Portugal "continua a defender a
manutenção das quotas do leite", apesar de reconhecer que existem
poucas hipóteses de isso acontecer.
"Sabemos que é difícil conseguir que isso vá para a frente, porque é
preciso uma maioria qualificada para reverter uma decisão que foi
tomada no passado", frisou, salientando que a defesa das quotas pode
valer mais tarde a Portugal ganhos "na estratégia de uma adaptação
suave", caso se confirme o fim deste regime.

PCP quer explicações de Portas sobre acordos da UE com Marrocos e Mercosul

29.02.2012 - 17:31 Por Lusa
Votar | 3 votos 8 de 13 notícias em Política« anteriorseguinte »
O PCP requereu hoje a presença no Parlamento do ministro dos Negócios
Estrangeiros para esclarecer os acordos da União Europeia com Marrocos
e o Mercosul, afirmando que estes podem afectar as exportações
portuguesas de hortofrutícolas e pescado.
Em declarações aos jornalistas na Assembleia da República, o deputado
do PCP Agostinho Lopes afirmou que tanto o acordo União
Europeia/Marrocos como o acordo União Europeia/Mercosul, que incidem
sobre o sector agrícola, pesca e pecuária e respectivas transformações
industriais, têm "impactos muito graves e negativos no âmbito da
agricultura portuguesa".

Conservação do lince e abutre-preto ganha 5000 hectares no Alentejo

29.02.2012
Helena Geraldes
O lince-ibérico e o abutre-preto, duas das espécies mais ameaçadas de
Portugal, ganharam 5000 hectares de refúgio no Baixo Alentejo, no
âmbito de uma parceria para a sua conservação assinada na Herdade da
Contenda.
Com mais de 5000 hectares, a Herdade da Contenda – gerida pela Câmara
Municipal de Moura – vai ser alvo de uma série de medidas para
"melhorar as condições de sobrevivência, alimentação e reprodução do
lince-ibérico e do abutre-preto", explicou Eduardo Santos, da Liga
para a Protecção da Natureza (LPN) e coordenador do projecto LIFE -
Natureza "Habitat Lince Abutre", iniciado em Janeiro de 2010.

Vinho Verde: Seca ainda não afetou produção mas será "preocupante" se não chover no próximo trimestre

18:20 Quarta feira, 29 de fevereiro de 2012
Braga, 29 fev (Lusa) - A seca, em Portugal, ainda não tem quaisquer
impactos para a qualidade e quantidade do vinho verde, mas a situação
já será "preocupante" se não chover a partir do segundo trimestre,
disse hoje a Comissão de Viticultura.
Em nota enviada à Agência Lusa, a Comissão de Viticultura da Região
dos Vinhos Verdes (CVRVV) sublinha que "a vinha não precisa,
necessariamente, de chuva, neste momento".

Incêndios: MAI desbloqueia 382 mil euros a corporações de bombeiros

Por , publicado em 29 Fev 2012 - 12:00 | Actualizado há 2 dias 19 horas
Lisboa, 29 fev (Lusa) - O ministro da Administração Interna (MAI)
anunciou hoje o desbloqueamento de 382 mil euros para acudir às 100
corporações de bombeiros que têm estado sob maior pressão devido à
anormal de incêndios florestais desde o início deste ano.
Para o efeito, Miguel Macedo determinou a antecipação imediata do
pagamento, por duodécimos, às 100 corporações de bombeiros em causa.
Segundo o MAI, os procedimentos necessários à disponibilização de uma
verba de 382.348 euros estão já em curso, de modo a que o depósito nas
contas das associações de bombeiros ocorra entre o final desta semana
e o início da próxima.

Portalegre:Presidente da Associação de Agricultores duvida que ajudas comunitárias sejam antecipadas

29-Fev-2012
O Governo anunciou esta quarta-feira que as ajudas comunitárias aos
agricultores vão ser pagas antecipadamente, mas o presidente da
Associação de Agricultores do distrito de Portalegre, diz que enquanto
não for corrigido o parcelário agrícola a Comissão Europeia não vai
enviar um cêntimo.
Aliás, António Bonito, diz que o Estado português ainda deve aos
agricultores 20 por cento das ajudas referentes à campanha de 2011,
por ter sido obrigado a reter essa percentagem devido ao atraso na
revisão do parcelário agrícola.

sexta-feira, 2 de março de 2012

Açúcar: Retomar a produção de beterraba sacarina é uma opção "arriscada" - associação de refinadores

15:44 Quarta feira, 29 de fevereiro de 2012
Lisboa, 29 fev (Lusa) - A produção de beterraba sacarina, a ser
retomada neste momento, seria uma opção "arriscada", defendeu o
presidente da associação nacional de refinadores de açúcar, no dia em
que o assunto volta a merecer a atenção do Parlamento.
A Assembleia da República discute hoje dois projetos de resolução, do
PSD e do PCP, que recomendam ao Governo que retome a produção da
beterraba sacarina, mas o presidente da Associação de Refinadores de
Açúcar Portugueses (ARAP) acha que a ideia "é surrealista".

Açores: Açucareira SINAGA registou 1 ME de prejuízo em 2011

Lusa - Esta notícia foi escrita nos termos do Acordo Ortográfico
16:33 Quarta, 29 de Fevereiro de 2012
Partilhe este artigo: 0 0

Ponta Delgada, 29 fev (Lusa) -- A açucareira SINAGA, adquirida há dois
anos pelo Governo dos Açores, fechou o ano de 2011 com um prejuízo de
cerca de um milhão de euros, anunciou hoje o administrador da empresa,
Ricardo Medeiros.
O administrador, em declarações aos jornalistas, frisou que o défice
estimado para 2011 representa uma quebra significativa face ao
verificado nos anos imediatamente anteriores, em que "variou entre
dois e três milhões de euros".

Aguaceiros não travam efeitos da seca

por LusaOntem

Fotografia © Arquivo DN / Rodrigo Cabrita
O Instituto de Meteorologia prevê chuva para hoje e sexta-feira, mas
admite que os aguaceiros não serão suficientes para minimizar os
efeitos da seca que se regista em Portugal, disse à Lusa uma
meteorologista.
"Estamos a prever períodos de chuva e aguaceiros já a partir da manhã
[de hoje] em todo o território. Não se prevê que estes aguaceiros e
períodos de chuva sejam fortes, mas podem cair com mais intensidade em
alguns pontos do continente", afirmou a meteorologista Joana Seixes.
"Para amanhã [sexta-feira] já se prevê uma ligeira melhoria, os
aguaceiros já vão ser fracos, principalmente no Baixo Alentejo,
Algarve e regiões do Interior", acrescentou.

Pagamento de ajudas a agricultores pode ser antecipado

SECA EXTREMA
por LusaOntem

Fotografia © Joana Bourgard / Global Imagens
O Ministério da Agricultura pode antecipar para meio de outubro o
pagamento de ajudas aos agricultores, revela o primeiro relatório do
grupo de acompanhamento e avaliação dos impactos da seca 2012 hoje
divulgado.
O relatório indica que para os agricultores responderem às
"dificuldades de tesouraria" devido a mais gastos na alimentação
animal e a perdas "originadas pelo mau ano agrícola" pode ser
"equacionado" pagar antecipadamente a partir de 16 de outubro deste
ano.

Situação de seca é menos grave que em 2005

Publicado ontem

foto RICARDO ESTUDANTE/GLOBAL IMAGENS

A atual seca é menos grave que a última ocorrência do fenómeno, em
2005, segundo o primeiro relatório do Ministério da Agricultura, que
não prevê limitações no abastecimento de água e na rega dos principais
terrenos de regadio público.
Até 15 de fevereiro, cinco por cento do país estava em seca extrema e
70% em seca severa e "em 2005, nesta altura, cerca de metade do
território estava em seca severa e a outra em seca extrema", lê-se no
primeiro relatório do grupo de trabalho de acompanhamento e avaliação
da seca 2012 que foi hoje divulgado.Segundo o grupo de trabalho, as
previsões disponíveis "são para um curto período de tempo e apontam
para uma manutenção da falta de pluviosidade".

Incompreensível baixa do preço do leite ao produtor

COMUNICADO
Os produtores das cooperativas associadas na LACTOGAL (AGROS,
LACTICOOP E PROLEITE) estão neste momento a receber menos um cêntimo
por litro de leite que no início de 2012.
É incompreensível que esta baixa ocorra quando aumentam os custos de
produção. Além da seca reduzir a produção de forragem e aumentar o
custo da palha, temos casos de rações à base de cereais que já subiram
30 euros por tonelada desde o início do ano.
É incompreensível que seja a indústria cooperativa a primeira a baixar
o preço aos produtores seus associados. Apelamos à indústria privada
para que não adopte a mesma atitude.
É incompreensível estar há dois anos com preço abaixo da média
comunitária, quando temos menos ajudas públicas e mais custos de
produção.

Pastores da Serra da Estrela admitem reduzir rebanhos por não terem dinheiro para fenos e rações

SECA
por LusaOntem
A falta de chuva está a preocupar os pastores da Serra da Estrela, uma
das regiões consideradas em seca severa, que admitem reduzir os
rebanhos por não terem capacidade financeira para suportar a
alimentação dos animais com fenos e rações.
Dois pastores da aldeia de Vila Ruiva, concelho de Fornos de Algodres,
contaram hoje à agência Lusa que, devido à seca dos campos, os custos
dispararam devido à compra da alimentação para os animais.
Com 29 de anos, Norberto Pereira lamenta a falta de chuva que já levou
o seu rebanho de 74 ovelhas a consumir o feno recolhido no verão e
teve necessidade de comprar mais, já que os pastos estão
"completamente secos" e não garantem o sustento dos animais.
Nos campos "não há praticamente nada para o gado comer", o que obriga
a custos acrescidos com a aquisição de fenos, rações e cereais.
Diariamente leva consigo um saco com centeio para alimentar as ovelhas
à mão.

Produtores de leite queixam-se da descida dos preços

inShare
2 de Março, 2012
A Associação de Produtores de Leite de Portugal (APROLEP) criticou
hoje a descida de um cêntimo no preço do leite pago por algumas
cooperativas, considerando que é «incompreensível» face ao aumento dos
custos de produção.
A Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL) argumenta,
no entanto, que os produtores sabiam que o aumento do preço fixado em
Setembro do ano passado era temporário.
O presidente da APROLEP, Carlos Neves, disse à Lusa que o preço médio
pago por algumas cooperativas associadas na LACTOGAL (AGROS, LACTICOOP
E PROLEITE) baixou de 33 para 32 cêntimos por litro, sem que tenha
sido dada uma explicação formal.

Seguro: "É altura" de o Governo "ajudar rapidamente" os agricultores que estão "com a corda ao pescoço"

SECA
por LusaOntem
O secretário-geral do PS defendeu hoje que "é altura" de o Governo
"ajudar rapidamente" os agricultores que estão "com a corda ao
pescoço" devido à seca e exigiu ao Executivo para antecipar ajudas e
ouvir os agricultores.
"É altura de o Governo (...) ajudar rapidamente os agricultores que
estão com a corda ao pescoço" devido ao "problema com a seca", disse
António José Seguro.
O líder do PS falava aos jornalistas durante uma visita a uma
exploração agrícola no concelho de Beja e após ter reunido, naquela
cidade, com agricultores da região, no âmbito do "Roteiro em Defesa do
Interior", que está a realizar.
Segundo o líder do PS, "há uma necessidade muito grande de fazer face
a este momento de seca" e o Governo, "em primeiro lugar", tem que
antecipar o pagamento das ajudas diretas aos agricultores, num total
de "cerca de 600 milhões de euros".

Seguro: Governo não deve complicar o que era simples em relação a Alqueva

01.03.2012 - 17:08 Por Carlos Dias
Votar | 0 votos 8 de 15 notícias em Política« anteriorseguinte »
Há olival, como este, entre os 65 mil hectares regados pelo Alqueva
(Foto: Miguel Manso)
O secretário-geral do PS, António José Seguro, garantiu nesta
quinta-feira, em Beja, durante a visita que efectuou a uma exploração
agrícola, que o anterior Governo, liderado pelo PS, deixou a verba
necessária para conclusão do regadio de Alqueva. Uma afirmação que
contraria outra, feita pela actual ministra da Agricultura, Assunção
Cristas, que numa recente reunião da comissão parlamentar de
Agricultura disse não ter encontrado verba para a conclusão do
empreendimento.

Seca agrava-se depois de Fevereiro mais seco dos últimos 80 anos

01.03.2012 - 11:43 Por Ricardo Garcia
Votar | 0 votos 6 de 13 notícias em Sociedade« anteriorseguinte »
A situação piorou desde 15 de Fevereiro (Foto: Carlos Lopes)
A seca em Portugal agravou-se e já é "severa" ou "extrema" em todo o
território continental, segundo o balanço mais recente do Instituto de
Meteorologia. O país teve o Fevereiro mais seco desde 1931.
A quantidade de precipitação em todo o país no mês passado foi mínima:
apenas 2,2 milímetros, contra cerca de 100 milímetros de valor médio.
Nunca choveu tão pouco em Fevereiro desde que há séries fiáveis e
comparáveis de registos meteorológicos. Mesmo em 2005, data da última
grande seca no país, choveu mais: 19,7 milímetros.

Mais de 30 por cento do País está em seca extrema

Dados do Instituto de Meteorologia confirmam
Mais de 30 por cento do território de Portugal continental está em
situação de seca extrema e quase 70 por cento em seca severa, revelou
esta quinta-feira o Observatório de Secas do Instituto de
Meteorologia.
01 Março 2012Nº de votos (2) Comentários (1)
Segundo aquele observatório, a situação de seca meteorológica teve um
"agravamento grave" desde 15 de Fevereiro".
Assim, de acordo com o Instituto de Meteorologia (IM), todo o
território continental está em situação de seca meteorológica, do qual
68 por cento está em seca severa e 32 por cento em seca extrema, "os
dois níveis mais elevados de severidade".

Água armazenada diminuiu em 11 albufeiras

Seca em Portugal afecta nível das barragens
A quantidade de água armazenada em 11 bacias hidrográficas de Portugal
Continental desceu em Fevereiro e subiu numa face ao mês anterior, de
acordo com o último boletim do Instituto da Água (INAG), divulgado
esta quinta-feira.
01 Março 2012Nº de votos (2) Comentários (0)
Das 57 albufeiras monitorizadas, 16 apresentam disponibilidades
hídricas superiores a 80 por cento do volume total e seis têm
disponibilidades inferiores a 40 por cento.
Os níveis máximos de armazenamento de água ocorreram em Fevereiro nas
bacias de Mira (87,1 por cento), Mondego (84,2 por cento), Barlavento
(80,6 por cento), Guadiana (76,3 por cento), Ave (73,1 por cento) e
Tejo (67,1 por cento) enquanto os níveis mais baixos aconteceram no
Arade (28,7 por cento), Lima (37,8 por cento), Cávado (54 por cento),
Douro (52,2 por cento) e Sado (64,3 por cento).

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Previsão Meteorológica: Chuva

Norte:



Centro:



Sul:

fonte: weather.com

Produtores apostam onde "já se vende bem" o vinho verde

29 Fevereiro 2012 | 16:29
António Larguesa - alarguesa@negocios.pt
Imprimir|Enviar|Reportar Erros|Partilhar|Votar|Total: 0 VotosTamanho
Em Março, as "duas maiores comitivas de sempre" partem do Minho rumo a
acções de promoção na Alemanha e na Suiça, dois mercados maduros para
as exportações em que os produtores mais investem em 2012.
De acordo com a informação enviada ao Negócios, na PROWEIN, a maior
feira mundial de vinhos em Dusseldorf (4 a 6 de Março), vão participar
18 produtores, em representação de 87 marcas. A 7 de Março, vão
aterrar em Zurique mais 16 viticultores para promover um total de 70
marcas. Na Suiça vão apresentar-se a importadores, distribuidores,
"sommeliers" e restaurantes.
Manuel Pinheiro, presidente da Comissão de Viticultura da Região dos
Vinhos Verdes (CVRVV), refere que o "grande esforço" de promoção em
2012 foca-se "não em novos mercados, mas naqueles em que já se vende
bem o vinho verde". São os casos da Alemanha, o maior consumidor
europeu de vinhos verdes e o segundo maior investimento da Comissão, e
a Suiça, país a que destina o sexto maior investimento promocional
(283 mil euros).

Vinho do Porto: IVDP lança plano para que produto saia do circuito dos "batizados e comunhões"

14:16 Quarta feira, 29 de fevereiro de 2012
Porto, 29 fev (Lusa) - O Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto
(IVDP) inicia hoje, em Matosinhos, um plano de formação técnica
dirigida a bares e restaurantes para servir e vender melhor o vinho do
Porto.
O presidente do IVDP, Manuel Cabral, fez a apresentação deste plano
frisando que "todos dizem gostar de vinho do Porto, mas são poucos os
que bebem regularmente".

CE: Novas propostas sobre matérias-primas, agricultura e envelhecimento

29-02-2012

A Comissão Europeia propôs hoje uma acção decisiva que visa enfrentar
três grandes desafios com que a nossa sociedade se vê confrontada em
áreas de importância crucial para o crescimento e o emprego.
Abastecimento de matérias-primas, agricultura sustentável e promoção
de um envelhecimento activo e saudável, três áreas que exigem um
esforço de inovação mais concertado entre os sectores público e
privado a fim de melhorar a qualidade de vida e a posição da Europa
como líder global.
Em consequência, a Comissão lançou duas novas Parcerias Europeias de
Inovação (PEI), Matérias‑Primas e Produtividade e Sustentabilidade
Agrícolas, e aprovou um Plano de Acção de quatro anos da Parceria
Europeia de Inovação para o Envelhecimento Activo e Saudável, um
projecto-piloto lançado em Fevereiro de 2011.
As PEI seguem uma nova abordagem no que diz respeito a toda a cadeia
de investigação-desenvolvimento-inovação, reunindo intervenientes
públicos e privados através de fronteiras e sectores a fim de acelerar
a aceitação da inovação. Cada uma delas visa um objectivo ambicioso a
atingir até 2020 e espera-se que comecem a produzir resultados dentro
de 1 a 3 anos.

Alheira movimenta 28 milhões de euros por ano

Mirandela recebe festa em homenagem ao povo e à Maravilha Gastronómica
de Portugal
Mirandela recebe a Festa da Alheira no próximo sábado, em "Homenagem a
um povo, elogio à sua cultura e comemoração da Maravilha Vencedora da
Gastronomia de Portugal".
A cerimónia está marcada para as 20 horas, no Parque de Exposições da
Reginorde, onde decorre a Feira da Alheira de Mirandela. O certame,
organizado pela Associação Comercial e Industrial de Mirandela,
arrancou no passado dia 18, com a presença do director regional de
Agricultura e Pescas do Norte, Manuel Cardoso.
O responsável destacou o papel das unidades de produção de alheira no
desenvolvimento económico local e regional. Segundo Manuel Cardoso, o
sector movimenta 28 milhões de euros por ano e emprega mais de 500
trabalhadores em onze unidades de produção, sete das quais de alheira
certificada. Existem ainda seis cozinhas regionais, às quais se
deverão juntar outras vinte, que aguardam licenciamento.

Publicidade do Azeite Gallo acusada de racismo no Brasil

POLÉMICA
por Paula BritoHoje

Imagem da campanha Fotografia © DR
Um anúncio do Azeite Gallo no Brasil está a ser acusado de racismo.
Tudo por causa da frase que destaca os atributos do azeite ser
embalado em garrafa de vidro escuro.
"O nosso azeite é rico. O vidro escuro é o segurança" é a frase que
leva a campanha a ser considerada racista na coluna de Mônica Bergamo,
publicada na Folha de São Paulo.
A situação levou inclusivamente o Conselho Nacional de
Autorregulamentação Publicitário (Conar), o homólogo do ICAP português
(Instituto Civil da Autodisciplina da Comunicaão Comercial), a avaliar
o assunto a abrir processo de averiguação.

Vinho do Porto quer "reter mais divisas" dos turistas

29 Fevereiro 2012 | 13:13
António Larguesa - alarguesa@negocios.pt
Partilhar
7

Imprimir|Enviar|Reportar Erros|Partilhar|Votar|Total: 0 VotosTamanho
Instituto dos Vinhos do Douro e Porto arranca hoje em Matosinhos a
formação aos restaurantes e hotéis para ensinar a servir o vinho aos
clientes estrangeiros.
As acções de formação vão decorrer nesta primeira fase apenas no
Grande Porto e na região do Douro, em especial nos restaurantes e
hotéis mais frequentados pelos estrangeiros. No próximo ano, disse
esta manhã o presidente do IVDP, Manuel Cabral, deverá arrancar
iniciativa semelhante noutras regiões do País.
A formação irá durar entre duas horas e meia a três horas, sempre ao
início da tarde e nos primeiros dias da semana. Manuel Cabral admitiu
na sessão de apresentação que pode ser um tempo "insuficiente" para
mudar hábitos, pelo que a eficácia da iniciativa será avaliada
periodicamente.

“Vinho do Porto: saber servir, vender melhor”


IVDP avança com maior iniciativa de educação nacional do Vinho do Porto 

Tendo em conta a importância do Vinho do Porto para a Região e para o País, do valor  acrescentado que a correta forma como é servido pode representar para valorizar os espaços e os profissionais, o Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP), avança hoje com a maior iniciativa de edução nacional do Vinho do Porto. O crescimento exponencial que a procura do turismo no Porto e no Douro tem tido, ressalva, em simultâneo, o desafio no que diz respeito ao conhecimento profissional do Vinho do Porto. Após a apresentação desta manhã, no IVDP, dia 29, na presença de representantes das várias câmaras municipais como também muitas entidades ligadas ao setor do Vinho, do Turismo e da Restauração, a formação arrancou já esta tarde. Até final de 2012, os profissionais do IVDP vão percorrer uma série de restaurantes das zonas mais turísticas do Porto, Vila  Nova de Gaia, Matosinhos, bem como do Douro, para proporcionar aos responsáveis dos restaurantes e bares uma formação técnica, objetiva e cuidada sobre Vinho do Porto.

Produtores de Vinho Verde investem cada vez mais nas exportações


Alemanha e Suíça recebem, de 4 a 7 de março, as duas maiores comitivas de sempre em ações de promoção

Número recorde. Os produtores de Vinho Verde que vão marcar presença nas ações de promoção na Alemanha e na Suíça constituem as duas maiores comitivas de sempre. Se, na PROWEIN, maior feira mundial de vinhos, que tem lugar em Dusseldorf, de 4 a 6 de março, vão participar 18 produtores, em representação de 87 marcas, já em Zurique são 16 os viticultores e 70 as marcas que, dia 7 de março, se apresentarão a sommeliers, importadores, distribuidores e restaurantes. "Em face da conjuntura económico-financeira que se vive em Portugal, os produtores que quiserem crescer só tem uma alternativa: exportar", sublinha Manuel Pinheiro, presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV).

Agricultores de Braga pedem a ministra para 'reduzir a conversa' e salvar o sector

inShare
29 de Fevereiro, 2012
A Associação de Defesa dos Agricultores do Distrito de Braga (ADADB)
instou hoje a ministra da tutela a «reduzir a conversa» e a tomar
medidas concretas e eficazes para acudir a um sector em «estado de
calamidade».
Em comunicado, aquela associação afirma que Assunção Cristas «tem
produzido conversa, mais conversa e ainda mais conversa, dando a ideia
que nada está a acontecer, tudo está bem e que todos os problemas
estão a ser resolvidos».
«Só que medidas, até hoje, nem uma ainda se viu», acrescenta a associação.
A seca prolongada é, segundo a ADADB, mais uma «enorme dor de cabeça»
para um sector que já atravessa uma «profunda crise, originada por
políticas erradas e desajustadas da realidade produtiva».

Agricultura: Manifestação no dia 08 em Mirandela para alertar para a seca e sanidade animal

10:41 Quarta feira, 29 de fevereiro de 2012
Vila Real, 29 fev (Lusa) -- Agricultores, pastores e produtores de
carne de Trás-os-Montes manifestam-se no dia 08 de março, em
Mirandela, para reivindicar medidas que ajudem a minimizar os efeitos
da seca e alertar para a desresponsabilização do Estado na
problemática da sanidade animal.
Os manifestantes vão concentrar-se em frente à sede da Direção
Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN), em Mirandela.
Armando Carvalho, dirigente da Associação dos Pastores Transmontanos
(APT) e da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), disse hoje à
Agência Lusa que o protesto pretende chamar a atenção do Governo para
duas questões que estão a afetar "de forma grave" os transmontanos: a
seca e a sanidade animal.

PS: Perplexo com escolhas do governo para CCDRA e EDIA

Regional | 07:00 | 29-02-2012
O PS do Baixo Alentejo está "perplexo" porque o Governo excluíu
qualquer representação da região na estrutura dirigente da CCDRA e da
presidência da EDIA. Os socialistas anunciam ainda a visita de António
José Seguro amanhã a Alqueva.
A Comissão Permanente do Secretariado da Federação do Baixo Alentejo
do Partido Socialista reuniu, no inicio desta semana, e decidiu
manifestar a sua "perplexidade" pelo facto do Governo ter excluído
qualquer representação desta região na nova estrutura dirigente da
CCDRA-Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo.
Pita Ameixa, presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS, afirmou
que politicamente trata-se de um sinal da maior gravidade e que
demonstra bem o desprezo a que este Governo tem votado esta região.
Relativamente ao novo presidente da EDIA-Empresa de Desenvolvimento e
Infraestruturas de Alqueva os socialistas fazem questão de salientar
que do currículo divulgado não consta qualquer ligação ao projecto,
qualquer conhecimento da empresa ou da obra, nem nenhuma ligação à
região.

Agricultura: Conselho de administração da Companhia das Lezírias, eleito na terça-feira, inicia funções "de imediato" - Ministério

11:25 Quarta feira, 29 de fevereiro de 2012
Santarém, 29 fev (Lusa) -- O novo conselho de administração da
Companhia das Lezírias, eleito em assembleiageral realizada na
terça-feira, inicia funções "de imediato", anunciou o Ministério da
Agricultura.
Depois da nomeação do novo presidente do conselho de administração
(CA) da Companhia das Lezírias (CA), António Pimentel Saraiva, no dia
19 de janeiro, o órgão dirigente da empresa, que estava sem quórum
desde o início do ano, ficou agora completo.

Gastronomia molecular: Cientistas de garfo e faca

inShare
29 de Fevereiro, 2012por Joana Ludovice de Andrade
«Portugal está na vanguarda da gastronomia», afirma quem deixou a
Arquitectura Paisagística para fazer os legumes saberem a fruta.
Experiências na cozinha da CookingLab.
A expectativa era ver tubos de ensaio, recipientes fumegantes e muita
parafernália complicada e habitual num laboratório. Em vez disso, num
workshop dedicado a gastronomia molecular, o SOL encontra uma cozinha
igual a tantas outras: com placa, micro-ondas e algumas
varinhas-mágicas.
O entusiasmo dos dez inscritos na 'aula' da CookingLab – uma equipa de
cientistas e investigadores de gastronomia molecular – sente-se no ar;
os sorrisos, mesmo no rosto dos repetentes, espelham a curiosidade
pelo que se vai passar. As formações e os motivos de cada participante
não podem ser mais diferentes: químicos, professores de gastronomia,
pasteleiros, técnicos de medicina dentária, futuros chefs ou
simplesmente curiosos.

Seca: Portugal de volta ao pesadelo de 2005

2012-02-27

A situação de seca meteorológica no país está confirmada pelo
Instituto de Meteorologia e atinge todo o território continental. No
final de Janeiro, 11 por cento de Portugal continental estava sob seca
severa, 76 por cento com seca moderada e 13 por cento em seca fraca,
lembrando o grave cenário vivido em Portugal no ano de 2005.
Actualmente, os números são ainda mais graves: segundo os indicadores
de seca meteorológica, 70 por cento do território está em seca severa
e 5 por cento em seca extrema.
Perante a falta de chuva, o Governo está a analisar a situação através
de uma task-force, mas a ministra Assunção Cristas já afirmou
publicamente ser cedo para avançar com pedidos de ajuda europeia. Por
outro lado, o Plano Nacional para o Uso Eficiente da Água – que será
apresentado neste trimestre – dará um contributo importante no actual
cenário de escassez de água, garante a tutela.

JM planeia abrir 500 lojas na Colômbia em três anos

Retalho
Dírcia Lopes
29/02/12 00:05
O grupo português vai investir 400 milhões de euros e criar cinco mil
postos de trabalho no mercado colombiano.
Depois do sucesso obtido na Polónia, onde é lider de mercado no
segmento de 'hard discount', a expansão internacional da Jerónimo
Martins vai passar agora pela Colômbia. O grupo da família Soares dos
Santos tem em curso um plano de investimento de 400 milhões de euros,
que prevê a abertura de 500 lojas nos próximos três anos e a criação
de cerca de cinco mil postos de trabalho, directos e indirectos,
naquele país, de acordo com fontes ligadas à Proexport - Promoción de
Turismo, Inversión Y Exportaciones, a entidade colombiana encarregue
de atrair investimento estrangeiro, contactadas pelo Diário Económico.

IM DIVULGA PREVISÕES PARA UM MÊS

2012-02-24 (IM)
O Instituto de Meteorologia, I.P., prosseguindo na sua política de
difusão de informação orientada para os interesses e necessidades dos
cidadãos e operadores económicos e sociais, dá início à edição no seu
Portal de previsões mensais para o território do continente.
Estas previsões, atualizadas semanalmente, são baseadas em resultados
apurados pelo Centro Europeu de Previsão a Médio-Prazo (ECMWF) e têm
um caráter probabilístico, pelo que como tal deverão ser tomadas pelos
utilizadores.
Contrariamente às previsões de curto e médio-prazo (até 15 dias) que
resultam do processamento de modelos determinísticos que tomam por
referência as condições iniciais da atmosfera e simulam os fenómenos
meteorológicos que ocorrerão pela dinâmica física dos vários elementos
em presença na interação atmosfera-terra-oceano, estas previsões
constituem-se fundamentalmente em cenários que procuram antecipar as
condições médias da atmosfera para o longo-prazo, i.e., para o período
de um mês.

Actuais fogos podem ser benéficos para prevenir incêndios de Verão

inShare
28 de Fevereiro, 2012
O inspector da PJ António Carvalho disse hoje que os recentes
incêndios começam muitas vezes em queimadas, actividade normal para a
época do ano, e que até podem funcionar como prevenção contra os
grandes fogos de Verão.
Em declarações à agência Lusa, o inspector chefe da Polícia Judiciária
descartou a possibilidade de mão criminosa nestes incêndios fora de
época, considerando-os mesmo «benéficos», caso ardam apenas matos e
zonas de incultos, já que são preventivos contra os grandes fogos de
verão, dado que os locais ficam limpos.
«Os últimos incêndios devem-se sobretudo a situações que resultam de
acções negligentes. As pessoas não queriam provocar incêndios, o que
queriam era fazer determinadas actividades que são próprias desta
época do ano», adiantou o coordenador do grupo de investigação às
causas de incêndio da PJ.
António Carvalho falava à Lusa a propósito dos inúmeros incêndios
florestais que têm deflagrado neste inverno e que já levou o
Ministério da Administração Interna a reforçar os meios operacionais
de combate.

Seca e políticas desajustadas arruínam a produção agrícola nacional

COMUNICADO
Associação de Defesa dos Agricultores do Distrito de Braga
Como não bastasse a profunda crise que a agricultura atravessa,
originada por políticas erradas e desajustadas da nossa realidade
produtiva, assente no desprezo dos sucessivos governos que tem levado
à total desregulação dos custos dos meios de produção e dos preços
pagos à produção, a seca que se tem vindo a instalar é mais uma enorme
dor de cabeça para os produtores agrícolas.
Com a falta de chuva que se tem verificado: escasseiam as pastagens,
está prejudicado o cultivo de cereais de inverno e a produção e
qualidade do vinho verde está ameaçada.
Como não bastassem os aumentos constantes dos combustíveis, das
rações, dos adubos, das sementes, das pesticidas ,da electricidade,
etc… os produtores de leite e carne têm que suportar custos
suplementares com a alimentação dos animais e mais gastos com energia
para rega.

Açores: Governo está a preparar nova linha de crédito para o sector agrícola

Publicado: 2012-02-28 18:57:06 | Actualizado: 2012-02-28 19:00:10
Por: António Gil

O presidente do governo reuniu esta tarde com a Federação Agricola dos
Açores. Para além de declarar a importância do sector, César relevou a
sua estabilidade e a preparação de uma nova linha de apoio.

Uma nova linha de apoio ao sector da agro-pecuária, que já tem
designação, vai chamar-se Linha de Apoio Compensação Financeira Dois.
Está em preparação, César espera que surja durante o próximo mês e
deverá ter uma configuração semelhante às linhas anunciadas
recentemente para as empresas, com o executivo a assumir uma parte do
risco dos créditos, ao nível das garantias necessárias, e uma parte
dos juros relativos a esses empréstimos.
Portanto genéricamente serão créditos que os agricultores terão que
efectuar junto da banca.

Cristas liberta 29 milhões para combater a seca

MINISTRA DA AGRICULTURA
por LusaOntem

Fotografia © João Girão/Global Imagens
A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, anunciou hoje que vão ser
disponibilizados 29 milhões de euros para projetos de regadio, em
várias zonas do país, para minimizar a exposição à seca, e admitiu que
há "situações delicadas".
No final do mês de fevereiro, a seca atingia 75 por cento do
território nacional, apesar das albufeiras manterem níveis semelhantes
aos anos anteriores, com água armazenada a cerca de dois terços da sua
capacidade.
Numa visita ao Salão Internacional do Setor Alimentar e Bebidas
(SISAB), a ministra Assunção Cristas, adiantou que o relatório da
'task force' que está a acompanhar a situação vai estar pronto durante
esta semana e que o Governo está "a sinalizar", junto da União
Europeia, medidas de flexibilização administrativa.

UE/Leite: Ministros da agricultura dos 27 aprovam novo regulamento para mercado do setor

12:43 Terça feira, 28 de fevereiro de 2012
0 0


Comente
Bruxelas, 28 fev (Lusa) -- Os ministros da Agricultura da União
Europeia aprovaram hoje alterações ao funcionamento do mercado do
leite, reforçando o poder de negociação dos preços pelos produtores
que passam a poder celebrar contratos escritos com os transformadores.
O regulamento prevê que todos os elementos dos contratos deverão ser
livremente negociados pelas partes e os Estados-membros poderão
determinar um prazo mínimo, nunca inferior a seis meses, de duração
destes acordos.

Agricultores do Baixo Alentejo sentem-se discriminados

Publicado ontem às 20:29
Os 29 milhões de euros que a ministra da Agricultura anunciou hoje
para dinamizar os efeitos da seca são para obras que não incluem o
regadio do Alqueva.
Enviar por email Link
João Madeira, da Federação das Associações de Agricultores do Baixo
Alentejo, fala numa política com dois pesos e duas medidas
Luís Mira, da Confederação dos Agricultores de Portugal, esperava mais
da tutela tendo em conta os prejuízos que estão a sofrer neste momento
Com 75 por cento do território atingido pela seca, a ministra da
Agricultura, Assunção Cristas, prometeu, esta terça-feira, libertar 29
milhões de euros para projectos de regadio em várias zonas do país,
reconhecendo a ministra que muitos agricultores estão a viver
situações delicadas.

Agricultura: PS quer que gestora do PRODER dê informação atualizada sobre o programa

20:02 Terça feira, 28 de fevereiro de 2012
Lisboa, 28 fev (Lusa) -- Os deputados do PS na Comissão de Agricultura
e Mar requereram hoje uma audição conjunta à gestora do PRODER e ao
presidente do conselho diretivo do IFAP com o objetivo de obter
informação atualizada sobre este programa.
No requerimento enviado ao presidente da Comissão de Agricultura e
Mar, Vasco Cunha, os deputados socialistas justificam a necessidade de
uma audição com "a ausência de informação atualizada e pormenorizada
sobre a execução do Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER),
situação que impede a fiscalização com transparência, por parte dos
partidos políticos, da ação do Ministério".

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Portugal pede antecipação de pagamentos comunitários aos agricultores

Em causa está a situação de seca que afecta grande parte do território
português. 28-02-2012 19:34
Agricultores pedem medidas urgentes para resolver problema da seca
Ministra da Agricultura promete para breve medidas contra a seca
Produtores de queijo alertam para tragédia caso não chova nos próximos 15 dias
Probabilidade de chuva é inferior a 35%
Governo vai accionar mecanismo europeu de ajuda aos agricultores
O Governo português vai solicitar a Bruxelas que os pagamento das
ajudas comunitárias aos agricultores portugueses para este ano sejam
feitas mais cedo e não em Dezembro. O anúncio foi feito à Renascença
pelo secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque.
Em causa está a situação de seca que afecta grande parte do território
português. "Nós vamos solicitar a antecipação de pagamentos aos
agricultores, uma medida que também foi tomada o ano passado quando
houve seca grave em Espanha e França", refere o secretário de Estado.
O objectivo é que a Comissão Europeia efectue o pagamento das ajudas
comunitárias aos agricultores antes do mês de Dezembro.

Ministra da Agricultura promete para breve medidas contra a seca

Áudio Medidas contra a seca chegam em breve, promete ministra
A área de produção animal é das mais atingidas pela falta de chuva, a
par das culturas, explica Assunção Cristas. 28-02-2012 15:07
Portugal pede antecipação de pagamentos comunitários aos agricultores
Agricultores pedem medidas urgentes para resolver problema da seca
Depois da crise, a seca
Produtores de queijo alertam para tragédia caso não chova nos próximos 15 dias
Cinco fogos a esta hora
Probabilidade de chuva é inferior a 35%
Fica concluído esta semana o relatório sobre a seca em Portugal. A
ministra da Agricultura, Assunção Cristas, já começou a receber
números sobre os estragos que a falta de chuva está a provocar a curto
e a longo prazo.

Agricultura: Produtores querem legislação que os "defenda" da grande distribuição

17:37 Terça feira, 28 de fevereiro de 2012
Lisboa, 28 fev (Lusa) - O presidente da confederação nacional de
cooperativas agrícolas (CONFAGRI) reclamou hoje mais legislação para
regular as práticas comerciais das grandes superfícies e considerou
que não basta um código de conduta para aliviar a pressão sobre os
produtores.
"A PARCA (Plataforma de Acompanhamento das Relações na Cadeia
Agro-Alimentar) não vai lá com mezinhas, só vai lá com lei e um bom
regulador e é preciso que a lei seja fiscalizada. Precisamos
urgentemente de legislação, porque quem tem poder é quem tem
dinheiro", afirmou Manuel Santos Gomes, numa audiência da Comissão
parlamentar de Agricultura.

Douro: IVDP selou vinho generoso de adega até pagamento de dívida aos viticultores

Lusa - Esta notícia foi escrita nos termos do Acordo Ortográfico
23:03 Segunda, 27 de Fevereiro de 2012
Partilhe este artigo:


Vila Real, 27 fev (Lusa) -- O Instituto dos Vinhos do Douro e Porto
(IVDP) informou hoje que procedeu à selagem do vinho generoso de uma
adega de Abaças, concelho de Vila Real, tornando-o indisponível até à
confirmação do pagamento aos viticultores.

Muitos viticultores do Douro queixaram-se de não receberem o dinheiro
pelas uvas que entregaram à empresa Fernando Mendes & Bior e ameaçam
avançar para tribunal contra os proprietários.

Em relação a este assunto, o IVDP informou que procedeu, conforme
previsto no n.º 36 da Base IV do Comunicado de Vindima de 2011, "à
selagem do vinho generoso, indisponibilizando-o até à confirmação do
pagamento aos viticultores".

http://aeiou.visao.pt/douro-ivdp-selou-vinho-generoso-de-adega-ate-pagamento-de-divida-aos-viticultores=f649084#ixzz1nihQZDqh

Açores: Caça ao coelho-bravo proibida em Santa Maria para evitar disseminação de surto de doença hemorrágica

17:55 Segunda feira, 27 de fevereiro de 2012


Comente
Ponta Delgada, 27 fev (Lusa) -- O Governo dos Açores decidiu proibir a
caça ao coelho-bravo em Santa Maria para evitar a disseminação de um
surto de Doença Hemorrágica Viral que está "localizado em algumas
zonas" desta ilha do Grupo Oriental.
Uma portaria da Secretaria Regional da Agricultura e Florestas, hoje
publicada no Jornal Oficial, justifica esta proibição com a
"necessidade de se adotarem medidas de modo a controlar as populações
de coelho-bravo", face ao surgimento daquele surto.

SISAB: Quinta dos Fumeiros apresenta Presunto de Peru

A Quinta dos Fumeiros marca presença na 17ª edição do SISAB - Salão
Internacional do Sector Alimentar e Bebidas que decorre de 27 a 29 de
Fevereiro, com o lançamento de um produto inovador - o presunto de
peru, que é preparado no fumeiro tradicional e feito a pensar nos
gourmets mais exigentes. Este presunto representa equilíbrio entre o
rico sabor de fumeiro e as características benéficas de carne de peru,
rica em minerais essenciais como fósforo, ferro e zinco.
O presunto de peru surge como uma alternativa mais saudável ao
presunto tradicional. Já o chouriço de peru lançado no ano passado
pela Quinta dos Fumeiros deixou muitos clientes surpreendidos pelo
sabor e qualidade do produto. Uma cliente de Lisboa escreveu: "estou
contente por a minha filha e o meu neto agora poderem comer enchidos,
pois eles não comem carne de porco e o chouriço de peru da Quinta dos
Fumeiros substitui-o ...".

UE: Conselho melhora funcionamento do mercado do leite

O Conselho aprovou hoje um regulamento destinado a melhorar o
funcionamento do sector do leite na UE. As disposições sobre as
relações contratuais no sector do leite e produtos lácteos são uma
resposta à profunda crise que afectou este sector em 2008 e 2009, mas
essas medidas devem também ser vistas no contexto da supressão do
regime de quotas de leite a partir de 2015 (77/11).
Os principais elementos do regulamento incluem:
um reforço do poder de negociação dos produtores de leite,
permitindo-lhes criar organizações de produtores que em seu nome
possam negociar colectivamente os contratos de entregas de leite.
a possibilidade de os Estados-Membros introduzirem no seu território:
1. uma obrigação de contratos escritos formais para o fornecimento de
leite e / ou
2. uma obrigação para o primeiro comprador de leite em apresentar uma
oferta de contrato escrito ao produtor, que será capaz de aceitar ou
rejeitar essa oferta.

Abastecimento público ao Algarve garantido por três anos "mesmo que não chova uma gota"

SECA
por LusaHoje
O abastecimento de água ao Algarve está garantido para os próximos
três anos, mesmo que não chova durante todo esse período, garantiu
hoje a empresa Águas do Algarve, sublinhando que todas as barragens
estão a mais de 65%.
"Se por hipótese absurda não cair uma gota de água no Algarve inteiro
durante três anos consecutivos, o abastecimento está garantido", disse
à Lusa o presidente da empresa, Artur Ribeiro.
Na segunda-feira, a barragem de Odelouca estava a 65% da sua
capacidade máxima, Bravura a 81,6%, Funcho a 34,2%, Odeleite a 78,5% e
Beliche a 70,1%.
O presidente da Águas do Algarve observou que, além dos 282 milhões de
metros cúbicos atualmente existentes nessas cinco grandes barragens,
que garantem o abastecimento público e rega para agricultura, a
empresa tem ainda autorização para captar 15,8 milhões por ano do
grande aquífero subterrâneo Querença/Silves, que se encontra
praticamente no máximo da sua capacidade.

REPÓRTER TVI - 27 FEV 12: O Sal da terra

http://www.tvi.iol.pt/videos/13582476

Ministra preocupada com seca não vai "ficar sentada" à espera que chova





A ministra da Agricultura garante que está preocupada com a seca mas diz que não está sentada à espera que chova. Assunção Cristas admite que algumas culturas poderão ficar perdidas mas considera que a situação mais complicada se prende com o gado.



Turismo ignora promoção da caça

Poderia render 500 milhões
O Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) "não incluem uma única
menção à caça", o que é "incompreensível" para João Carvalho,
secretário geral Associação Nacional de Proprietários e Produtores de
Caça (ANPC), tratando-se de uma das actividades que "mais receitas
geram nas zonas rurais".
10h02Nº de votos (4) Comentários (1)
Por:Carlos Ferreira

"Não se compreende que o sector não seja considerado no PENT em vigor,
nem do que está a ser definido para vigorar a partir de 2015", refere
o responsável, destacando a importância da caça no turismo rural, por
exemplo na hotelaria e restauração.
"É a actividade que maior número de dormidas gera no Interior do
País", diz. Para João Carvalho, a inexistência de uma estratégia para
a caça no PENT "é uma situação que deve ser revista, dado ter um
elevado potencial de expansão e poder tornar-se na actividade
turística com maior peso nas regiões do Interior".
Em Portugal há 287 mil caçadores, mas nesta época de 2011/2012 apenas
133 mil pagaram a licença que lhes permite exercer a actividade, o
número mais baixo desde o início do século. As licenças atribuídas a
não residentes são apenas 839.

Governo liberta 29 milhões de euros para projectos de regadio

Medidas do Ministério da Agricultura para combater período de seca
A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, anunciou esta terça-feira
que vão ser disponibilizados 29 milhões de euros para projectos de
regadio, em várias zonas do País, para minimizar a exposição à seca, e
admitiu que há "situações delicadas".
15h04Nº de votos (2) Comentários (1)
No final do mês de Fevereiro, a seca atingia 75 por cento do
território nacional, apesar das albufeiras manterem níveis semelhantes
aos anos anteriores, com água armazenada a cerca de dois terços da sua
capacidade.
Numa visita ao Salão Internacional do Sector Alimentar e Bebidas
(SISAB), a ministra Assunção Cristas, adiantou que o relatório da
'task force' que está a acompanhar a situação vai estar pronto durante
esta semana e que o Governo está "a sinalizar", junto da União
Europeia, medidas de flexibilização administrativa.

Agricultura liberta 29 milhões de euros para projectos de regadio

Ministra Assunção Cristas, no SISAB
28.02.2012 - 14:52 Por Lusa
29 de 32 notícias em Economia« anteriorseguinte »
A ministra da Agricultura considera que um dos grandes dasafios do
sector é o regadio
(Rui Gaudêncio)
A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, anunciou hoje que vão ser
disponibilizados 29 milhões de euros para projectos de regadio, em
várias zonas do país, para minimizar a exposição à seca, e admitiu que
há "situações delicadas".
No final do mês de Fevereiro, a seca atingia 75% do território
nacional, apesar das albufeiras manterem níveis semelhantes aos anos
anteriores, com água armazenada a cerca de dois terços da sua
capacidade.

Governo reforça meios para combater fogos

Publicado ontem

foto NUNO CERQUEIRA
País tem sido afetado por vários incêndios
4 0 0
O Ministério da Administração Interna decidiu esta segunda-feira
reforçar os meios operacionais para o combate aos incêndios
florestais, devido às condições meteorológicas propícias à propagação
de fogo.
Fonte do MAI disse à agência Lusa que os meios vão ser reforçados no
imediato e vão vigorar "enquanto as condições meteorológicas o
exigirem".
O reforço vai ser executado pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).
Segundo o MAI, vai ser ativado o segundo helibombardeiro pesado para
reforçar o dispositivo aéreo permanente, a partir da base de Santa
Comba Dão, constituindo-se um dispositivo composto por quatro
helicópteros Kamov para ataque ampliado.

Algarve: Produtores sofrem quebras avultadas

Geada arruína campos e pasto
O ano agrícola está comprometido no Algarve. Além da precipitação
média estar a metade do que seria normal, e já com um longo período de
ausência total de chuva, a diminuição da humidade do ar e o acentuado
arrefecimento nocturno combinaram-se, sobretudo na primeira quinzena
deste mês, para a ocorrência de geadas negras. Poucas pastagens de
sequeiro subsistiram para a produção pecuária e há elevados prejuízos
nas principais produções vegetais da região.
1h00Nº de votos (0) Comentários (0)
Por:Paulo Marcelino
De acordo com uma avaliação feita, este mês, pela Direcção Regional de
Agricultura e Pescas do Algarve, as pastagens definharam e as reservas
de forragem são insuficientes. José Maria, produtor de gado da raça
limousine, perto de Lagos, já teve de vender seis vacas para comprar
feno para as restantes. A sementeira de feno não vingou e as pastagens
têm a erva queimada pela geada. "Se não chover até ao fim de Março,
vou ter de vender tudo" lamenta.

Combate na época mais crítica terá 44 meios aéreos

INCÊNDIOS
por LusaOntem

Fotografia © Arquivo DN / Rodrigo Cabrita
O dispositivo sazonal de combate a incêndios florestais vai contar
este ano com 44 meios aéreos, mais três do que em 2011, disse hoje à
agência Lusa fonte do Ministério da Administração Interna (MAI).
Segundo a mesma fonte, o Governo já autorizou uma verba até 36,5
milhões de euros para a contratação dos meios aéreos necessários para
o combate aos incêndios florestais durante este ano.
A fonte do MAI adiantou que os 44 meios aéreos vão ser contratados
pelo Empresa de Meios Aéreos (EMA), que este ano ainda vai ser
responsável pelo combate dos fogos florestais.
O MAI garante que a EMA vai ser extinta, mas enquanto o processo não
está concluído, esta empresa continuará a ser responsável pela gestão
dos meios aéreos.

O melhor nariz do mundo está no Porto a educar o olfato dos enólogos

Luís Baila / Luís Dinis
27 Fev, 2012, 14:32 / atualizado em 27 Fev, 2012, 14:32
Está no Porto aquele que é considerado o melhor nariz do mundo.
Durante muitos anos o francês Alexandre Schmitt trabalhou na indústria
dos perfumes, mas está agora voltado para outros odores e anda pelo
mundo a educar o olfato dos enólogos.
(VIDEO)

Corticeira Amorim teve os maiores lucros e vendas de sempre

27 Fevereiro 2012 | 16:52
Rui Neves - ruineves@negocios.pt
Imprimir|Enviar|Reportar Erros|Partilhar|Votar|Total: 1 VotoTamanho
O exercício de 2011 foi o melhor de sempre da Corticeira Amorim, ao
fechar o ano com lucros de 25,3 milhões de euros e vendas de 494,8
milhões de euros, o que se traduziu num aumento do resultado em 23,1%
e da facturação em 8,3% face ao ano anterior.
O crescimento das vendas "acima da média" do negócio das rolhas "foi o
principal responsável pelo aumento das vendas consolidadas" da
Corticeira Amorim, tudo apontando assim para que "em 2011 a rolha de
cortiça tenha ganho (como em 2010) quota em relação aos vedantes
plásticos e de alumínio e que o peso da Corticeira Amorim tenha também
sido reforçado", refere a empresa, em comunicado enviado para a CMVM.
Em termos financeiros, regista-se que o EBITDA corrente aumentou 9,7%,
para os 72,4 milhões de euros, tendo este rácio sobre as vendas
melhorado relativamente a 2010, atingindo os 14,6%, "tendo atingido um
dos melhores rácios da história da Corticeira Amorim", enfatiza o
grupo presidido por António Amorim.

CAP pede a Passos "medidas urgentes" para a seca

AGRICULTURA
por LusaHoje
O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) pediu
hoje ao primeiro-ministro "medidas urgentes para a seca", disse no
final de uma reunião com Pedro Passos Coelho que antecede a cimeira
europeia.
João Machado disse ter conversado com o primeiro-ministro a intenção
de implementar o mais rapidamente possível o que foi assinado no
acordo de concertação social, principalmente "a taxa de recursos
hídricos, a taxa sobre eletricidade verde e outras medidas de
financiamento, como novos concursos do PRODER".
Para o responsável da CAP é essencial que haja um desbloqueamento das
verbas comunitárias e anunciou que, ainda esta semana, irá ter uma
reunião com o ministro da Economia e Emprego, Álvaro Santos Pereira,
de forma a agilizar os processos.

Vinho já é um negócio na China

inShare
27 de Fevereiro, 2012
O vinho é uma das produções nacionais mais bem conhecidas na China,
mas os empresários chineses acreditam que há mercado para outros
produtos e aproveitaram o Salão Internacional do Sector Alimentar e
Bebidas (SISAB) para descobrir «novidades».
A secretária-geral adjunta do Fórum para a Cooperação Económica e
Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau), Rita
Santos, garantiu à Lusa que «há interesse» na importação de produtos
portugueses.
«Antigamente, [os empresários portugueses] só bebiam vinho francês, do
Chile e da Austrália, mas como cada vez que eu faço actividades [de
promoção] no interior da China, em Cantão, Xangai, Pequim, levo sempre
vinho português, eles conseguem comprovar que, além de ser barato, tem
um sabor que muitos deles acham superior aos vinhos da França»,
afirmou.

Produtores de queijo alertam para tragédia caso não chova nos próximos 15 dias

SECA

A falta de chuva está também a condicionar o armazenamento de feno,
vital para o próximo ano, caso se repita o cenário de seca. 27-02-2012
14:58 por Liliana Carona
Partilhar
Probabilidade de chuva é inferior a 35%
Governo vai accionar mecanismo europeu de ajuda aos agricultores
Agricultores vão pedir ao Governo medidas contra a seca
Na tradicional época alta de produção de queijo Serra da Estrela, os
produtores queixam-se de quebras de produção que ultrapassam os 50%.
Se não chover nas próximas duas semanas, os queijeiros falam já em
"tragédia".
A Renascença visitou a queijaria de Germil, em Penalva do Castelo.
Carlos Lopes, o proprietário, não esconde a tristeza de saber que lá
fora os pastos estão secos.

Negócio das rolhas suporta lucro da Corticeira Amorim

Hermínia Saraiva
28/02/12 00:05

A Corticeira Amorim lucrou 25,3 milhões de euros no ano passado,
sobretudo devido ao negócio das rolhas.
Facturação do segmento das rolhas cresceu 9%, contribuindo para a
subida de 23,1% do lucro da empresa.
A guerra da Corticeira Amorim contra os vedantes plásticos ganhou um
novo impulso, em 2011, e com ele as vendas daquela unidade de negócio
cresceram 9,1% ao atingirem 295,8 milhões de euros. Um crescimento que
contribuiu para que o lucro tenha subido 23,1% para 25,3 milhões, num
exercício que a empresa assume como "o melhor ano de sempre".
Globalmente, as vendas da Corticeira Amorim chegaram a 494,8 milhões
de euros, valor que representa um crescimento de 8,3% face a 2010. Num
comunicado em que aponta o crescimento do negócio das rolhas como o
principal responsável para o aumento das vendas, o grupo liderado por
António Rios de Amorim explica que "tudo aponta para que em 2011 a
rolha de cortiça tenha ganho (como em 2010) quota em relação aos
vedantes plásticos e de alumínio e que o peso da Corticeira Amorim
tenha também sido reforçado".

"O Mateus Rosé está em todo o lado"

LOURENÇO BEIRÃO DA VEIGA. PILOTO
por DN.ptHoje

Fotografia © João girão-Global Imagens
"Por onde quer se vá encontramos este vinho. Está em todo lado", diz
Lourenço Beirão da Veiga.

Além de ser uma das "marcas portuguesas mais conhecidas em todo o
mundo", o piloto salienta a "fascinante" história do vinho, que bem
conhece, porque foi o seu avô, Fernando van Zeller Guedes, que o
lançou.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Douro: Viticultores dizem ter sido lesados por adega de Abaças e ameaçam ir para tribunal

12:38 Segunda feira, 27 de fevereiro de 2012
Vila Real, 27 fev (Lusa) -- Viticultores do Douro queixaram-se hoje de
não receberem o dinheiro pelas uvas que entregaram a uma adega de
Abaças, concelho de Vila Real, e ameaçam avançar para tribunal contra
os proprietários.
Ernesto Lopes, viticultor de Abaças, garantiu ter sido "profundamente
enganado" pela empresa Fernando Mendes & Bior, cujos proprietários "já
não são vistos desde o início de janeiro".

Falta de pastagens para gado e cereais em risco de perda total no Baixo Alentejo

SECA
27 | 02 | 2012 13.45H
Falta de pastagens para alimentar o gado, plantações de cereais
"bastante comprometidas" e com risco de perdas totais e "despesas
extras" para regar culturas de regadio são os efeitos da seca no Baixo
Alentejo, segundo os agricultores.
A seca no distrito de Beja, onde "não chove há mais de dois meses",
está a afetar sobretudo a pecuária, devido à falta de pastagens para
alimentar o gado, disse hoje à Lusa João Madeira, da Federação das
Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA).
Devido à falta de chuva, "quase não houve erva este inverno e a pouca
que houve já foi consumida e, por isso, os criadores têm vindo a
esgotar as reservas de forragem conservada e estão a chegar à fase em
que vão ter que começar a comprar forragens ou rações no mercado",
explicou.

Conservação dos ovos-moles é afinal um ovo de Colombo

27.02.2012 - 16:06 Por Maria José Santana
Votar | 7 votos 11 de 13 notícias em Local« anteriorseguinte »
Na mira dos produtores dos ovos moles estão já vários países europeus ()
Aquele que foi o primeiro produto de doçaria a ser certificado em
Portugal está agora em condições de dar mais um passo importante no
sentido da comercialização internacional.
Um estudo realizado por investigadores da Universidade de Aveiro (UA)
acaba de confirmar que os ovos-moles podem ser congelados, sem
perderem as suas qualidades. Quando ultracongelado a 40 graus
negativos, o doce conventual aveirense "mantém o sabor inicial e não é
nocivo para a saúde durante cerca de quatro meses", atestou a
investigação da UA.

Três quartos do país com problemas de seca

inShare
27 de Fevereiro, 2012
A seca atinge 75 por cento território nacional mas os índices das
albufeiras, nesta época do ano, são semelhantes aos anos anteriores
com perto de dois terços da sua capacidade de armazenamento de água.
O Instituto Nacional da Água (Inag) e o Instituto de Meteorologia
diferem na análise do território nacional: «Tomando como base as
albufeiras de volume significativo, Portugal Continental tem cerca de
11 km3 de capacidade de armazenamento de água, da qual cerca de 70 por
cento se encontra preenchida», disse à Lusa Rui Rodrigues, do Sistema
de Nacional de informação de Recursos Hídricos (SNIRH).
Já segundo o Instituto de Meteorologia, a seca do território nacional
agravou-se nos últimos meses já que o inverno tem sido pouco chuvoso.
De acordo com o incide de seca meteorológica, 70 por cento do
território está em seca severa e cinco por cento em seca extrema. Uma
situação que se pode agravar as previsões para os próximos dias que
não indicam qualquer precipitação.

Espanha vive o Inverno mais seco dos últimos 70 anos

27.02.2012
PÚBLICO
Espanha está a viver o seu Inverno mais seco desde que começaram a ser
feitos registos da pluviosidade, na década de 40 do século passado,
segundo a Agência estatal espanhola de Meteorologia (Aemet).
Desde Dezembro choveu menos de 60 litros por metro quadrado, o que
ultrapassa os mínimos do Inverno de 1980-1981, quando se registaram 86
litros, noticia hoje o jornal El País, citando dados da Aemet.
A seca já afecta todo o território espanhol mas as Canárias serão a
região onde a falta de água mais se sente, especialmente na
agricultura.

Agricultores alentejanos "desesperados" e à beira de um ataque de nervos

SECA
27 | 02 | 2012 13.45H
A falta de chuva está a deixar os agricultores alentejanos
"desesperados" e o elevado preço das forragens e rações a provocar um
ataque de nervos aos produtores pecuários, segundo um dirigente
agrícola de Portalegre.
"Os agricultores já estão a Xanax", ironizou António Bonito,
proprietário de uma exploração agrícola na freguesia de Crato
(Portalegre), onde mais de 200 cabeças de gado bovinoestão a ser
alimentadas à base de fenos e silagens.
Criticando a ministra da Agricultura, Assunção Cristas, pela forma
como tem conduzido o problema da seca, António Bonito, que exerce
também o cargo de presidente da Associação dos Agricultores do
Distrito de Portalegre (AADP), exigoi medidas que ajudem de "imediato"
o setor.

Perito afasta situação de seca perante volume de água nas albufeiras

27.02.2012
Lusa, PÚBLICO
O volume de água actualmente armazenada nas maiores albufeiras do país
corresponde à média esperada em Fevereiro e a situação ainda não
configura um cenário de seca, segundo um perito do Instituto da Água
(Inag).
A 15 de Fevereiro, 70% do território continental estava em situação de
seca severa, 25% em seca moderada e 5% em seca extrema, segundo o
índice de seca meteorológica divulgado pelo Instituto de Meteorologia.
Mas nesta época do ano, os índices das albufeiras são semelhantes aos
anos anteriores. "Tomando como base as albufeiras de volume
significativo, Portugal Continental tem cerca de 11 km3 de capacidade
de armazenamento de água, da qual cerca de 70% se encontra
preenchida", disse à Lusa Rui Rodrigues, do Sistema de Nacional de
informação de Recursos Hídricos (SNIRH), do Inag.
De acordo com Rui Rodrigues, os valores de armazenamento das
albufeiras "correspondem praticamente à média esperada em Fevereiro,
ainda que a sua distribuição espacial não seja uniforme", pelo que o
volume de água armazenada "não configura, para já, uma situação de
seca".

Primeiro-ministro abre Salão Internacional do Vinho, Pescado e Agro-Alimentar

27.02.2012 10:25
ECONOMIA

O primeiro-ministro e o ministro da Economia abriram esta manhã o
Salão Internacional do Vinho, Pescado e Agro-Alimentar - SISAB. A
iniciativa decorre no Pavilhão Atlântico, em Lisboa. Mil e duzentos
importadores internacionais negoceiam entre hoje a quarta-feira com
400 produtores portugueses no SISAB.
Em declarações à agência Lusa, o diretor do evento, que vai na 17ª
edição, destacou tratar-se da "maior feira do mundo de marcas e
produtos de um só país": "Escolhemos Portugal como o país de
excelência. Nem os alemães, franceses ou espanhóis conseguiram, até
hoje, fazer uma feira só de marcas e produtos de um só país e para a
exportação", salientou Carlos Morais.
Exclusivamente dirigido a importadores internacionais, o Sisab
orgulha-se de "só aceitar como expositores empresas, marcas e
produtos portugueses", garantindo a organização que, só este ano, "já
rejeitou 450 mil euros de expositores" porque "não cumpriam os
requisitos impostos", desde grandes superfícies a cadeias de
supermercados no estrangeiro e grandes marcas internacionais.
A "namorar" os mais de 1.200 importadores internacionais esperados,
oriundos de 81 países, estarão no Pavilhão Atlântico cerca de 400
empresas portuguesas, de 28 setores, desde o vinho, ao pescado,
conservas, azeite, água, sumos, mel, doçaria, aves, arroz, enchidos,
cafés e bacalhau.

Turismo é "âncora" para desenvolvimento do Douro

Secretário-geral do PS, António José Seguro, em visita a Peso da Régua
O secretário-geral do PS, António José Seguro, defendeu este domingo
que o Douro tem que diversificar a sua oferta para além do vinho,
considerando que o turismo é a "âncora" para o desenvolvimento e
criação de emprego.
26 Fevereiro 2012Nº de votos (0) Comentários (1)
O "Roteiro do Interior" levou hoje o líder socialista ao Peso da
Régua, onde visitou a exposição sobre o bicentenário de Dona Antónia
Adelaide Ferreira. A mais antiga região demarcada do mundo, o Douro,
atravessa uma crise que está a afectar milhares de pequenos e médios
vitivinicultores.
"Quando há crise num sector, convém diversificar", referiu. "O Douro
tem potencialidades ao nível do vinho, mas também do turismo e de
outros produtos endógenos associados", afirmou aos jornalistas.
O secretário-geral do PS frisou que o "turismo é uma âncora para o
desenvolvimento económico, para a criação de emprego" neste país que
está tão necessitado precisamente de "emprego e de crescimento
económico".

CAP duvida que haja terras sem dono em Portugal

26 Fev, 2012, 16:39 / atualizado em 26 Fev, 2012, 17:41
A Confederação dos Agricultores Portugueses (CAP) duvida que haja
terras sem dono em Portugal. A reação surge depois de a ministra da
tutela ter afirmado que pretende identificar todas as terras às quais
ninguém se apresenta como dono e distribuí-las para quem as queira
cultivar.
O secretário-geral da CAP, João Machado, revela-se bastante reticente
em relação a esta intenção. O dirigente afirma à Antena1 que poderá
ser um bom princípio para uma bolsa de terras, mas deverá haver
dificuldades no caminho devido à falta de cadastro.

AJADP: COMUNICADO

ASSOCIAÇÃO DE JOVENS AGRICULTORES DO DISTRITO DO PORTO
COMUNICADO
A AJADP tem acompanhado com preocupação a evolução da seca na região.
A situação da agro-pecuária ainda não é tão dramática como noutras
regiões do país porque os agricultores estão a utilizar as forragens
conservadas do ano anterior, mas a manterem-se as actuais condições
estará em causa em muitos terrenos a colheita de fenos na primavera e
do milho no Outono e consequentemente a alimentação das vacas
leiteiras no próximo ano.
Para além de reafirmarmos o pedido de ajuda urgente já apresentado por
inúmeras organizações de agricultores, sublinhamos os seguintes
pontos:
- Há muitos colegas com juros de crédito bonificado, por receber desde
Fevereiro de 2011, ou seja, há cerca de um ano!
- O pagamento da electricidade verde reportada a 2010, que costumava
ser paga até meio do ano seguinte, isto é, deveria ter sido paga até
meio de 2011. Não temos notícias deste prometido pagamento!
- Falta pagar 20% da ajuda RPU de 2011, que só está prevista para o
fim de Junho e a antecipação desse pagamento poderia ajudar os
agricultores em dificuldades por causa da seca.

Aljustrel e Lepe lançam projecto agrícola transfronteiriço

O Ayuntamiento de Lepe, a Câmara de Aljustrel, a Associação de
Beneficiários do Roxo e a Associação Geral de Empresário de Lepe
(Agelepe) reuniram na semana passada para o lançamento de um projecto
agrícola transfronteiriço. Este pretende, segundo a autarquia de
Aljustrel, impulsionar "a produção agrícola em ambos os territórios da
Península Ibérica". Na reunião foram lançadas as bases para a criação
de duas entidades que terão como meta "a produção, transformação e
comercialização de novos produtos" nomeadamente a romã, afirma Nelson
Brito, presidente da Câmara de Aljustrel.

EXPRESSO DA MEIA NOITE: Produção de vinho em Portugal em debate


Edição de 24-02-2012


Convidados: Ricardo Costa, director do Expresso, Jorge Roquette, da Quinta do Crasto, João Álvares Ribeiro, da Quinta do Vallado, Catarina Vieira, da Herdade do Rocim, e Jaime Quendera, da Casa Ermelinda de Freitas.





 

Água: Barragem do Caia tem reservas que garantem abastecimento público e regadio, apesar da seca

12:06 Domingo, 26 de fevereiro de 2012

Elvas, 26 fev (Lusa) - Apesar da seca, a albufeira do Caia, no
Alentejo, tem reservas hídricas que garantem o abastecimento público
de água e a atual campanha de rega, assegurou hoje o gestor da
Associação de Beneficiários do Caia, Aristides Chinita.

O responsável adiantou à agência Lusa que, apesar da "seca no outono e
no período já decorrido de inverno", as atuais reservas hídricas da
albufeira "garantem o abastecimento público de água", até ao final
deste ano, aos concelhos de Elvas, Campo Maior, Arronches e Monforte,
no distrito de Portalegre.

O gestor da Associação de Beneficiários do Caia assegurou ainda que
existem reservas de água para garantir, "sem problemas", a atual
campanha de rega, no perímetro do Caia, e que qualquer atividade
económica servida por esta albufeira tem "a garantia de água até ao
final deste ano".

http://aeiou.expresso.pt/agua-barragem-do-caia-tem-reservas-que-garantem-abastecimento-publico-e-regadio-apesar-da-seca=f707187#ixzz1nZzbmtvO

RISCO DE INCÊNDIO - OBSERVAÇÃO 26/02


Covilhã e Pampilhosa da Serra com risco muito elevado

INCÊNDIOS

por DN.ptOntem


Fotografia © Arquivo Global Imagens
Ontem registaram-se 352 incêndios florestais. Hoje, Covilhã e
Pampilhosa da Serra são as zonas mais preocupantes, mas há mais oito
concelhos com perigo elevado.

Os concelhos da Covilhã, no distrito de Castelo Branco, e Pampilhosa
da Serra, no distrito de Coimbra, apresentam hoje risco muito elevado
de incêndio, segundo o Instituto de Meteorologia (IM).
Com risco elevado de incêndio, encontram-se os concelhos de Tabuaço,
no distrito de Viseu, do Sabugal, na Guarda, Belmonte, Fundão, Oleiros
e Vila de Rei, no distrito de Castelo Branco, Arganil e Góis, no
distrito de Coimbra.
Também os concelhos de Mação e Sardoal, no distrito de Santarém, e os
concelhos de Portel, em Évora, e Alcoutim, em Faro se encontram com
risco elevado de incêndio, adianta a informação publicada no site
oficial do IM.
O risco de incêndio determinado pelo IM engloba cinco níveis, variando
entre "reduzido" e "máximo".
O seu cálculo é feito com base nos valores, observados às 13:00, da
temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade
de precipitação ocorrida nas últimas 24 horas.

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=2327102

Poços e ribeiras estão quase secos

Centro: Escassez de água afecta humanos e animais

As regiões do Ribatejo, Oeste, Baixo Mondego e da serra da Estrela
enfrentam uma situação difícil na agricultura, que pode tornar-se
dramática devido à ausência de chuva. "Os poços estão vazios, as
ribeiras quase secas e, se não chover este mês, teremos uma
catástrofe", alerta António Machado, presidente da Associação de
Agricultores da Guarda. Na região, não há memória de um período de
seca tão grave nos últimos 60 anos. "Já há produtores a tentarem
vender o gado com medo de não terem com que o alimentar."
1h00Nº de votos (0) Comentários (0)
Por:Carlos Ferreira / Paula Gonçalves com F.G./A.S. / J.N.P.


O presidente da Associação de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela,
Manuel Marques, está pessimista: a falta de chuva apresenta-se "quase
como uma calamidade" para os quatro mil associados. No Baixo Mondego
"não há nada verde", diz Joel Figueiredo, presidente da Cooperativa
Agrícola de Coimbra. Na região Oeste, Francisco Justo, da Foz do
Arelho (Caldas da Rainha) tem 400 ovelhas e cabras. "Não há uma gota
de água nos poços, temos de transportar bidões numa carrinha e dar ao
rebanho com a ajuda de garrafões", conta o agricultor, enquanto o
pastor Luís Pedro vai dando de beber aos animais mais jovens.
"BATATAS NEM NASCERAM"
"As culturas de Inverno foram todas à vida. No mínimo, devíamos ter
duas toneladas de trigo e palha para os animais. As batatas deviam dar
20 toneladas, mas nem sequer nasceram", lamenta Isidro Silva,
agricultor de Valcanosa (Montemor-o-Velho). Em São João do Campo
(Coimbra), Pedro Pimenta é produtor de leite e diz que esta "é a pior
fase dos últimos anos".
Mais no interior, é a falta de pastagem que preocupa. "O gado ainda
não está em risco de morrer à sede mas falta água para produzir as
forragens que alimentam os animais. Se não chover nos próximos tempos,
a produção da Primavera vai ser desastrosa, muitos produtores vão
perder cabeças de gado", assinala Luís Torres, produtor de gado, do
Fundão.

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/pocos-e-ribeiras-estao-quase-secos

Ausência prolongada de chuva no Ribatejo obriga a mais rega e mais gastos

Seca

26.02.2012 - 12:10 Por Lusa
Votar | 0 votos 4 de 8 notícias em Sociedade« anteriorseguinte »
A falta de chuva praticamente inviabilizou as culturas de cereais no
Ribatejo e tem obrigado a um reforço da rega nas culturas de regadio
de Outono/Inverno, com agravamento dos custos de produção, disseram à
Lusa fontes de associações locais.

Mário Antunes, da Agrotejo, União Agrícola do Norte do Vale do Tejo,
disse à Lusa que a associação tem monitorizado o nível da água
subterrânea na zona do campo (onde se fazem as culturas de regadio),
que se encontra semelhante aos valores de Maio de 2011.

"Isto significa que não houve recargas", disse, sublinhando que a água
dos furos vai sendo suficiente para regar as culturas de
Outono/Inverno, com consequências essencialmente ao nível do aumento
dos custos de produção.

Na zona da charneca, registam-se quebras na produção florestal e
sobretudo nas pastagens para os animais, com um risco de incêndio
acrescido, sublinhou.

Já na zona do bairro, os cereais de sequeiro praticamente não se
desenvolveram, havendo já agricultores a mobilizar estes terrenos,
preparando-os para as culturas de Primavera/Verão, disse.

Amândio de Freitas, da Federação de Agricultores do Distrito de
Santarém, confirmou à Lusa que as culturas de cereais (trigo, aveia,
cevada), embora não sendo predominantes entre os associados da FADS,
estão dadas como perdidas, estando os agricultores "a virar" os
terrenos, preparando-os para as culturas de Primavera/Verão.

Nos hortícolas, a produção tem sido mantida graças ao reforço da rega,
com reflexo na quantidade e qualidade, mas também no aumento dos
custos de produção, frisou.

Também os associados da Torriba, Associação de Produtores de
Hortofrutícolas, se queixam do aumento dos custos energéticos
provocados pela necessidade de estarem a regar, numa altura em que os
campos deviam ter humidade suficiente proveniente da chuva.

Gonçalo Escudeiro disse à Lusa que esta ausência prolongada de chuva é
"completamente anormal", havendo grande preocupação entre os
produtores já que, além de terem de regar as culturas de inverno, têm
também de regar os terrenos para os poderem preparar para as culturas
de primavera.

Mário Antunes adiantou que não estão ainda contabilizados os efeitos
desta falta prolongada de chuva, havendo a expectativa de que possa
chover de forma a recarregar os aquíferos e permitir o desenvolvimento
das pastagens.

http://www.publico.pt/Sociedade/ausencia-prolongada-de-chuva-no-ribatejo-obriga-a-mais-rega-e-mais-gastos-1535346

Agricultor acusado de criar porcos sem condições diz que eram animais de lazer

Sociedade 26 Fev 2012, 09:21h

Um jardim zoológico onde existiam 66 suínos era apenas um passatempo
para o agricultor, de 52 anos, que está acusado pelo Ministério
Público de criar durante pelo menos três anos ilegalmente suínos e
caprinos que se destinavam ao consumo humano sem as mínimas condições
de higiene numa exploração nos Arados, no Porto Alto, concelho de
Benavente. O agricultor referiu na primeira sessão de julgamento que
nunca vendou nem consumiu os suínos que criou.

"Desde pequeno que gosto de animais e comecei a criar um pequeno
jardim zoológico, mas nunca vendi nada. É o espaço onde passo o meu
tempo e não preciso de fumar um único cigarro durante todo o ano",
referiu o arguido, que começou o parque de suínos com cinco leitões de
puro sangue oferecidos por uns amigos. À data de inspecção da ASAE,
realizada a 9 de Março de 2009, o agricultor confessou que já andava a
tratar da legalização porque os animais rapidamente se reproduziram e
como já eram "demais", estava a pensar na venda.

http://www.omirante.pt/noticia.asp?idEdicao=54&id=50079&idSeccao=479&Action=noticia

CNA avisa ministra da Agricultura para não mexer num ninho de vespas

26 Fev, 2012, 17:40

A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) alerta a ministra da
Agricultura para não mexer num ninho de vespas, aconselhando cautela
ao defender a apropriação de terras pelo Estado.
Em declarações à Antena1, o presidente da CNA, João Dinis, afirma que
duvida que existam terras sem dono no país, porque muitas poderão é
estar abandonadas. João Dinis defende ainda que "não se pode ameaçar
com expropriações e nacionalizações selvagens da pequena propriedade,
seja lá com que pretexto for". João Dinis considera que a ministra
Assunção Cristas deve ter cuidado, porque está a querer mexer num
vespeiro.

Em causa estão as declarações da ministra da Agricultura, do Mar, do
Ambiente e do Ordenamento do Território, Assunção Cristas, que, em
entrevista ao jornal Público, afirmou que pretende "identificar o que
não tem dono", porque "o que não tem dono pertence ao Estado". O
Executivo pretende dar um prazo para que a propriedade seja reclamada,
se isso não acontecer coloca a terra na bolsa de terrenos que está a
criar.

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=530558&tm=8&layout=123&visual=61

“Alqueva é a solução”

Discurso Directo

Francisco Palma, presidente da Associação de Agricultores do Baixo
Alentejo, sobre os efeitos da seca na agricultura.
26 Fevereiro 2012Nº de votos (0) Comentários (0)
Por:Carlos Pinto

Correio da Manhã – A s culturas de sequeiro e as pastagens já estão perdidas?
Francisco Palma – A situação está difícil, mas o ano agrícola ainda
não está fechado. A chuva ainda o pode salvar. Mas sabemos que, nas
terras mais fracas, as culturas já estão comprometidas e que os
produtores de gado já não têm pastagens.
– Ainda é possível recuperar algumas sementeiras?
– Se não chover dentro de 10 dias, o potencial produtivo, sobretudo
nos cereais, fica reduzido para valores quase mínimos. Março e a
Primavera vão definir o ano agrícola. A água, agora, não pode é cair
de enxurrada.
– A conclusão do Alqueva é a solução para acabar com a seca na região Alentejo?
– Alqueva é a solução porque as reservas de água são a melhor medida
de adaptação aos fenómenos das alterações climáticas. Com os 120 mil
hectares de regadio previsto pelo Alqueva havia sempre água em
períodos de seca.
– A actual situação já foi exposta ao Ministério da Agricultura?
– O ministério sabe as dificuldades dos agricultores. Mas não existe
dinheiro. Para assegurar apoio batalhamos há anos pelos seguros
agrícolas, que a exemplo de Espanha, dão respostas aos problemas dos
agricultores nestas situações.

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/alqueva-e-a-solucao

Incêndios: Governo antecipa apoios às corporações mais mobilizadas

País vive situação anormal de ocorrências de incêndios

O ministro da Administração Interna anunciou este sábado, na Régua,
que o Governo vai antecipar apoios às corporações de bombeiros que
mais têm sido mobilizadas para a "anormal e excepcional" ocorrência de
incêndios que se tem verificado neste inverno.


25 Fevereiro 2012Nº de votos (0) Comentários (1)

Miguel Macedo inaugurou as obras de requalificação do centenário
quartel dos bombeiros de Peso da Régua, onde foi confrontado com
várias queixas por parte dos dirigentes das corporações de bombeiros.
O país vive uma situação anormal de ocorrências de incêndios, que
encontram no tempo seco condições para se propagarem. Os bombeiros
pedem apoios para as despesas extraordinárias no combate aos fogos
neste inverno.
O ministro fez questão de salientar que o Governo "já tomou uma medida
no imediato".
"Fazermos a antecipação de duodécimos, que no fundo significam o apoio
que do Ministério da Administração Interna (MAI) vai para as
corporações de bombeiros", afirmou Miguel Macedo.
Essa antecipação será feita para as corporações de bombeiros que têm
sido mais mobilizadas para os fogos, referiu.
"No imediato, era isso que podíamos fazer para rapidamente fazer
chegar esse apoio, mas estamos a preparar outras medidas no caso de se
prolongar esta situação anormal do ponto de vista meteorológico",
acrescentou.
Caso isso aconteça, será feita a "mobilização de recursos
extraordinários e excepcionais que existem", disse ainda Miguel
Macedo.
"Não é normal que em Janeiro e Fevereiro haja tantas ocorrências e
ignições como as que aconteceram. Não têm sido coisas de grande
dimensão, mas obrigam a fazer a mobilização do dispositivo e isso
significa gastos e meios que é preciso cobrir em termos financeiros",
sublinhou.
Desde o início do ano, a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC)
registou mais de 3 300 ignições em todo o país, a grande maioria das
quais neste mês de Fevereiro.
De acordo com o ministro, esta semana registou-se uma média de 200
ignições por dia no país.
Os bombeiros queixaram-se das dificuldades financeiras, em grande
parte provocadas por causa do novo sistema de pagamento de transporte
de doentes não urgentes, e salientaram que isto pode levar ao
encerramento de corporações, como o caso de São Mamede de Ribatua, em
Alijó, que fecha definitivamente as portas em Março.
Miguel Macedo aproveitou a deixa para defender "uma maior
racionalidade". A corporação de São Mamede de Ribatua é uma das seis
que existem no concelho de Alijó.
"Não estou a dizer que alguém é dispensável, pelo contrário, são todos
absolutamente precisos. A questão é saber se devemos ter seis corpos
de bombeiros em Alijó".
O ministro fez questão de salientar que não é o MAI que abre ou fecha
corporações.
"O que é preciso é que o país tenha um conjunto de critérios de
avaliação dos riscos em cada município e que o financiamento para a
cobertura do sistema necessário à cobertura desses riscos seja
completamente objectivo", frisou.
Por isso acrescentou, em alguns casos, onde existam porventura
estruturas a mais, terá que ser feito um "esforço de cooperação, de
racionalidade e de junção dessas estruturas".
Miguel Macedo fez questão de salientar que, em 2011, o MAI "não ficou
a dever um cêntimo aos bombeiros" e que não houve cortes no sector da
Protecção Civil.

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/incendios-governo-antecipa-apoios-as-corporacoes-mais-mobilizadas

Governo quer tomar posse de terras sem dono para as distribuir

Entrevista a Assunção Cristas

26.02.2012 - 12:48 Por Rosa Soares, Ricardo Garcia
3 de 5 notícias em Economia« anteriorseguinte »

Propriedades sem dono serão integradas no banco de terras
(Paulo Ricca)
O Governo quer identificar todas as terras em Portugal às quais
ninguém se apresenta como dono, reclamá-las para o Estado e
distribuí-las para quem as queira cultivar.

"O objectivo é identificar o que não tem dono, e o que não tem dono
pertence ao Estado", afirma a ministra da Agricultura, do Mar, do
Ambiente e do Ordenamento do Território, Assunção Cristas, numa
entrevista ao PÚBLICO. "Só que o Estado também não sabe que terras são
essas", completa Cristas.

A identificação destas terras será feita no âmbito da realização do
cadastro das propriedades rurais, que o Governo quer realizar em
quatro a cinco anos, com recurso aos dados que a administração central
já tem na sua posse - como informações sobre impostos, subsídios
agrícolas e registos públicos.

Para as parcelas cujos proprietários não são imediatamente
identificados, o Governo vai dar um prazo para que reivindiquem a sua
posse. "A ideia é que, à medida que se vá fazendo o cadastro, e
confirmada que não há nenhuma interação com o Estado, dar um prazo
para que venham sinalizar a propriedade. Se não vierem, é declarado o
seu abandono e é integrada na bolsa de terras", diz Assunção Cristas.

O Governo está a ultimar legislação sobre a bolsa de terras, através
da qual será disponibilizada informação sobre propriedades públicas ou
privadas disponíveis para serem cultivadas.


http://economia.publico.pt/Noticia/governo-quer-tomar-posse-de-terras-sem-dono-para-as-distribuir-1535348

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Probabilidade de chuva é inferior a 35%

Áudio Hipótese de chover para a semana não é grande
As contas são feitas pelo Instituto de Meteorologia. 25-02-2012 23:09

O tempo de seca está para durar, pelo menos, mais uns dias.
Segundo as previsões do Instituto de Meteorologia, o tempo vai
manter-se sem chuva e com temperaturas um pouco mais altas.
A chuva talvez volte a partir de quinta-feira, mas não há certezas até
porque a probabilidade é inferior a 35%.
A meteorologista Maria João Frada admite essa percentagem entre dia 1
e dia 5 de Março.

Turismo: Sucesso de destino enoturístico está associado à reputação do vinho da região -- investigador

Lusa - Esta notícia foi escrita nos termos do Acordo Ortográfico
18:44 Sexta, 24 de Fevereiro de 2012
Partilhe este artigo: 0 0

Maia, 24 fev (Lusa) - A ideia de que "o sucesso de um destino
enoturístico está associado à reputação do vinho da região" foi
defendida hoje no segundo dia da Conferência sobre Turismo e Vinho,
realizada no Instituto Superior da Maia (ISMAI).
"O enoturismo representa atualmente mais do que uma motivação
específica para a realização da viagem motivada pelo apreço do vinho.
Ele assume-se como uma nova oportunidade de negócio para a economia de
uma região vitivinícola", sustentou Eduardo Gonçalves, professor do
curso de Turismo do ISMAI.

Previsão Meteorológica: CHUVA!

Norte:
Centro:
Sul:

fonte: weather.com

Douro: Quatro irmãos de Mesão Frio dão as mãos no negócio de vinhos

Lusa - Esta notícia foi escrita nos termos do Acordo Ortográfico
9:55 Sábado, 25 de Fevereiro de 2012
Partilhe este artigo: 0 0

Mesão Frio, 25 fev (Lusa) -- Quatro jovens irmãos de Mesão Frio deram
as mãos para criar uma empresa produtora de vinhos que já possui 150
hectares, espalhados por sete quintas na Região Demarcada do Douro e
lançaram em finais de 2011 o primeiro vinho.
Roberto, Ricardo, Rafael e Rudolfo, com 33, 29, 26 e 23 anos,
constituem a "R4". Um é gestor de empresas, outro contabilista, há
ainda um engenheiro agrónomo e, o mais novo, está a terminar
Engenharia Agronómica e planeia um mestrado em Enologia que o levará
até à Califórnia (Estados Unidos) ou à Austrália.

Assunção Cristas anuncia que Governo quer distribuir terras sem dono

26.02.2012 13:45 O Governo quer tomar as terras que não têm dono para as distribuir. A intenção é explicada pela ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, numa entrevista ao jornal Público. Assunção Cristas diz ainda que vai interditar praias que não sejam consideradas seguras.

Prejuízo de 30 milhões

Agricultura: Seca destrói culturas de sequeiro e pastagens
Ribeiras secas, pastagens comprometidas e sementeiras destruídas pela
ausência de chuva e fortes geadas. Este é o cenário de seca nos campos
agrícolas do Alentejo, que já levou à perda de mais de 100 mil
hectares de culturas de sequeiro, como o trigo, cevada e aveia. Os
agricultores apontam para prejuízos de 30 milhões. Os dias de sol vão
continuar prevendo-se que chova no Litoral, entre 3 e 6.
1h00Nº de votos (0) Comentários (0)
Por:Alexandre M. Silva

"As culturas de Outono e Inverno estão irremediavelmente perdidas, com
prejuízos brutais para os agricultores que gastaram 300€ por cada um
dos 100 mil hectares destruídos", disse ao CM Bernardo Albino, da
Associação Nac. dos Produtores de Cereais.
O responsável frisa que as situações mais complicadas desta seca,
cujos prejuízos afectam, sobretudo, os agricultores do Alto Alentejo,
estão a ser alvo de um levantamento para um relatório a entregar em
Bruxelas, segundo revelou a ministra da Agricultura, Assunção Cristas.
"O distrito de Beja tem menos prejuízos", referiu Bernardo Albino, que
tem esperança na recuperação de algumas culturas "caso chova nos
próximos dias".