domingo, 13 de fevereiro de 2011

A sua cozinha passava numa inspecção da ASAE?

Cerca de 30 por cento das intoxicações alimentares que dão entrada nos
hospitais portugueses têm origem na nossas próprias casas.
Solange Cosme (sapato nº39)
23:50 Sábado, 12 de Fevereiro de 2011
1 comentário

Partilhe
De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, um em cada três
habitantes dos países desenvolvidos sofre anualmente intoxicações
alimentares decorrentes de bactérias existentes e desenvolvidas nos
alimentos.
A ASAE, autoridade administrativa portuguesa especializada na
segurança alimentar e na fiscalização económica, tem como uma das
principais responsabilidades a avaliação e comunicação dos riscos na
cadeia alimentar fiscalizando e inspecionando os estabelecimentos
públicos que prestam serviços nesta área.
No entanto, segundo estudos recentes, cerca de 30% das intoxicações
alimentares que dão entrada nos nossos hospitais têm origem nas nossas
próprias casas.

A pergunta que se impõe é: se a ASAE fiscaliza o seu supermercado, o
seu talho e o seu restaurante... quem é que o fiscaliza a si?
Desde o transporte dos alimentos, o prazo de validade, a sua
conservação e confeção até ao seu "local de trabalho" - a cozinha -
convido-os a fazer uma reflexão do perigo em que está a colocar a sua
família e a si próprio.

Como manter a sua cozinha longe de perigo
Temperatura do frigorífico
O frigorífico deverá ter uma temperatura inferior a 6 graus Celsius
para conseguir aniquilar a multiplicação da maioria das bactérias
alimentares.

Refrigerar carne, frango ou peixe cozido
Se a comida ficou de um dia para o outro fora do frigorífico é melhor
deitar tudo fora. No frigorífico, e desde que colocada no frio nas
duas horas seguintes a ser cozinhada, poderá guardá-la até ao máximo
de 5 dias.

Lava-loiças, bancada da cozinha e tábuas de cortar alimentos
Todas as atenções deverão ser redobradas se alguma destas superfícies
esteve em contacto com carne crua. O ideal será desinfetar tudo
diariamente a seguir a cozinhar uma refeição. Existem vários produtos
no mercado para o efeito, na dúvida, utilize lixívia e lave bem de
seguida com água corrente.

A esponja e os panos de limpeza
É de extrema importância que todos os utensílios de limpeza da cozinha
sejam bem lavados a seguir à sua utilização. Nunca guarde a esponja ou
os panos húmidos pois estará a potenciar a multiplicação de bactérias.
A sua substituição regular também é fundamental.

Descongelar carne, peixe e aves
A forma ideal para descongelar os alimentos é deixá-los no frigorífico
com apenas umas horas de antecedência à sua utilização. Em
alternativa, caso tenha pressa, poderá utilizar o micro-ondas mas
deverá preparar a comida imediatamente a seguir.

Pequenos gestos, grandes diferenças
- Antes de tocar em qualquer alimento lave muito bem as mãos, com água e sabão.
- Elimine as colheres e tábuas de madeira da sua cozinha. A madeira
absorve humidade e torna-se um meio propício à proliferação de
bactérias. Prefira utensílios de plástico laváveis.
- Troque a sua esponja de cozinha regularmente
- Lave sempre muito bem a fruta e os legumes. Na dúvida é preferível
higienizar com uma solução própria (à venda nas grandes superfícies),
mesmo os alimentos que serão consumidos sem casca
- Substitua regularmente os óleos alimentares utilizados e tenha
atenção às datas de validade dos produtos frescos (especialmente
ovos). Na dúvida, rejeite.
- Cozinhe bem as carnes suínas, bovinas, aves, peixes, ovos e outros
produtos de origem animal, para destruir eventuais bactérias ou
microorganismos.
http://aeiou.expresso.pt/a-sua-cozinha-passava-numa-inspeccao-da-asae=f631633

Sem comentários:

Publicar um comentário