quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Subida dos preços dos alimentos deixa mais 44 milhões de pessoas na pobreza

15 Fevereiro 2011 | 18:18
Ana Luísa Marques - anamarques@negocios.pt
Partilhar
38

Imprimir|Enviar|Reportar Erros|Partilhar|Votar|Total: 0 VotosTamanho
Desde o passado mês de Junho, a subida dos preços dos alimentos, em
especial do trigo e do milho, deixou mais 44 milhões de pessoas na
pobreza.
"Os preços dos alimentos estão a atingir níveis perigosos e a ameaçar
dezenas de milhões de pessoas pobres em todo o mundo", afirmou o
presidente do Banco Mundial, Robert B. Zoellick.

"A subida dos preços dos alimentos está a deixar milhões de pessoas na
pobreza e a colocar sob pressão os mais vulneráveis, ou seja, os que
gastam mais de metade do seu rendimento em alimentação", acrescentou o
responsável do Banco Mundial em comunicado.
De acordo com a última edição do Food Price Watch, o índice de preços
dos alimentos, elaborado pelo Banco Mundial, subiu 15% entre Outubro
de 2010 e Janeiro de 2011. O índice está assim 29% acima do nível
registado um ano antes e apenas 3% abaixo dos máximos registado em
2008.
A maior subida foi registada nos preço do trigo, que mais do que
duplicaram entre Junho de 2010 e Janeiro de 2011. Já os preços do
milho estão 73% mais elevados.
O Banco Mundial destaca, ainda assim, que o preço do arroz –
essencialmente na alimentação de muitas populações – subiu a uma taxa
mais lenta do que o preço de outros alimentos.
Este factor evitou, de acordo com o Banco Mundial, que mais pessoas
fossem atiradas para a pobreza. Outro dos factores foi as boas
colheitas em vários países africanos.
O Banco Mundial propõe várias medidas para lidar com a subida dos
preços dos alimentos. Entre elas, a criação de programas de segurança
e nutrição em países onde os preços estão a subir rapidamente; evitar
restrições às exportações de alimentos e melhorar a informação sobre
os "stocks" alimentares.
São ainda necessários mais investimentos na agricultura e na adaptação
às alterações climáticas, defende o Banco Mundial.
http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=468623

Sem comentários:

Publicar um comentário