quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Especialistas reunidos em Montemor concluem que a diferenciação e as normas de comercialização são fundamentais para a recuperação do sector do Porco Alentejano

O sector do porco alentejano esteve em exposição durante a Expomor -
Feira da Luz 2012, em Montemor-o-Novo, com várias actividades
representativas de toda a fileira. O evento foi organizado pela ANCPA
- Associação Nacional dos Criadores do Porco Alentejano em parceria
com a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo e a APORMOR.

As dificuldades que o sector do porco alentejano atravessa desde 2008,
com a queda significativa de margem para a produção e preocupante
abandono da actividade, com consequente redução drástica do efectivo
nacional desta raça autóctone, foram o grande tema de discussão, com
enfoque na busca de soluções. A discussão foi enriquecida com a
presença da produção nacional - ANCPA, e produção espanhola -
AECERIBER, das indústrias Barrancarnes e Senorio de Montanera, do
Ex.mo Director Regional de Agricultura e Pescas, Eng.º Francisco
Murteira e pela Directora Adjunta do Gabinete de Planeamento e
Politicas, Eng.ª Cláudia Costa.

Foi unânime, entre os presentes, que o Porco Alentejano produzido de
forma extensiva proporciona produtos únicos e de grande valor, e que
só as estratégias de diferenciação para o mercado podem representar
uma mais-valia e uma sustentabilidade sólida para a fileira. Ficou
claro que a confundibilidade para o consumidor das expressões porco
ibérico e porco preto têm sido responsáveis pela degradação dos
mercados de qualidade. No país vizinho a norma de qualidade espanhola
deve ser melhorada, e em Portugal devem surgir normas de qualidade e
comercialização que impeçam que qualquer porco esteja no mercado com o
nome de porco preto. Esta necessidade foi reconhecida pelos
intervenientes ao ponto de todos se comprometerem em encontrar a forma
mais eficaz e célere para o desenvolvimento das referidas normas. O
Presidente da ANCPA Eng.º Luís Bulhão Martins, acrescentou ainda a
necessidade de ajudas para o sector ao nível do próximo quadro de
apoios e reforçou a necessidade da produção encontrar medidas para a
melhoria da eficiência produtiva, de forma a responder à principal
ameaça à produção, que é a constante subida das matérias-primas e
outros factores de produção.

Durante a feira esteve sempre aberto um espaço de degustação dos
produtos do Porco Alentejano, com mais ênfase para os Presuntos
produzidos no Alentejo e para a Carne de Porco Alentejano. Foi
realizado mais um concurso Nacional dos Presuntos do Porco Alentejano.
O primeiro prémio foi atribuído à Barrancarnes S.A. - Casa do Porco
Preto, ficando em segundo e terceiro as empresas Miguel e Miguel e
Boleta Barranquenha, respectivamente.

A exposição de animais e concurso de alfeiros enriqueceram a qualidade
do evento e garantiram a constante presença dos produtores na Feira.
Esteve aberto mais um ano o restaurante do "Porco Alentejano - a
melhor carne do mundo", em parceria com a ANCPA - Associação Nacional
dos Criadores do Porco Alentejano, que permitiu ao consumidor aprender
ou confirmar o sabor Único da verdadeira Carne do Porco Alentejano.

Évora, 4 de Setembro de 2012

Fonte: ANCPA

http://www.agroportal.pt/x/agronoticias/2012/09/05.htm

Sem comentários:

Publicar um comentário