quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Governo vai disponibilizar apoios para compensar perdas materiais causadas pelos incêndios

05 Setembro 2012 | 15:23
Lusa

Imprimir|Enviar|Reportar Erros|Partilhar|Votar|Total: 0 VotosTamanho
O primeiro-ministro anunciou hoje que o Governo vai disponibilizar
apoios para compensar, na medida do possível, as perdas materiais
causadas pelos incêndios dos últimos dias, conforme fez no caso dos
incêndios ocorridos no Algarve em Julho.
Em declarações aos jornalistas, na Autoridade Nacional da Protecção
Civil, em Lisboa, Pedro Passos Coelho ressalvou que "não é possível,
como é evidente", compensar todas as perdas materiais causadas pelos
incêndios, mas afirmou que o Governo vai "trabalhar com as autoridades
locais no sentido de se fazer o apuramento de todos os prejuízos mais
importantes e, nessa medida, poder responder a uma ajuda de reparação
para aqueles que têm maiores dificuldades".

Sem falar em valores, o primeiro-ministro referiu que no caso dos
incêndios do Algarve "o Governo disponibilizou apoios para pessoas que
perderam bens e que foram afectadas nas suas actividades
profissionais", de forma "expedita", e acrescentou: "O mesmo faremos
agora com todas as situações que vierem a ocorrer".

Com o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, ao seu lado,
Pedro Passos Coelho anunciou também que, por proposta deste, o
Conselho de Ministros vai aprovar esta quinta-feira "um mecanismo que
permite que todos os funcionários que sejam bombeiros e que, portanto,
estão nesta altura muito envolvidos neste esforço de combate aos
incêndios, possam, do ponto de vista da Administração Interna, ter uma
facilidade de responderem mais facilmente a estas situações sem com
isso enfrentarem constrangimentos administrativos maiores".

Pedro Passos Coelho, que esteve reunido com a Autoridade Nacional de
Protecção Civil durante cerca de uma hora, louvou a forma como esta
tem coordenado o combate aos incêndios e elogiou a actuação dos
bombeiros, considerando que estes "têm feito o seu melhor" e evitado
"tragédias maiores".

http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=576675

Sem comentários:

Publicar um comentário