sexta-feira, 5 de julho de 2013

Exportação de enchidos portugueses para a China pode ser autorizada ainda este ano

4 de Julho, 2013
A exportação de presuntos e enchidos de carne de porcos portugueses
para a China poderá será autorizada ainda este ano, acentuando o "bom
entendimento" já alcançado na área dos lacticínios, anunciou hoje o
secretário de Estado do sector.

"Estamos numa fase extraordinariamente avançada (das negociações).
Tivemos hoje a confirmação que muito em breve teremos boas notícias.
Provavelmente será ainda este ano", disse o secretário de Estado
português da Alimentação e Inovação Agro-alimentar, Nuno Vieira e
Brito, à agência Lusa em Pequim.

A confirmação foi dada pelo director da Administração-geral da
Qualidade e Inspecção da China (AQSIQ), o vice-ministro Wei
Chuanzhong, que assinou em Maio passado, em Lisboa, o acordo que
permite a exportação de lacticínios portugueses para a China.

Nuno Vieira e Brito encontrou-se com o homólogo chinês hoje de manhã
(hora local), naquele que foi o terceiro encontro entre os dois
governantes no espaço de apenas dois meses.

"Há um bom entendimento com as autoridades chinesas, que permitiu
agilizar este tipo de procedimentos", realçou o secretário de Estado
português.

Vieira e Brito contou que o homólogo chinês "gostou imenso do presunto
e dos vinhos portugueses".

"A China já reconheceu a qualidade e segurança dos nossos produtos
alimentares", acrescentou.

Vieira e Brito revelou também estar empenhado em "abrir o mercado
chinês às frutas portuguesas", nomeadamente uvas de mesas sem grainha,
cerejas, kiwis, pêra rocha, maças e dióspiros, e "fomentar a
cooperação tecnológica bilateral no domínio agro-alimentar".

O secretário de Estado deslocou-se à China acompanhado por
responsáveis de sete empresas portuguesas de lacticínios, na primeira
promoção do género realizada naquele país.

A produtividade agro-alimentar em Portugal aumentou 28,3% nos últimos
doze anos e, no domínio das exportações, aquele sector foi o que mais
cresceu em 2012, realçou Vieira e Brito num seminário empresarial
promovido pelo AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo
de Portugal), que decorreu num hotel de Pequim.

Um seminário idêntico decorreu na quarta-feira em Xangai, a capital
económica da China, organizado pela delegação local do AICEP.

"Portugal é bem conhecido pela elevada qualidade e extrema segurança
de um conjunto de produtos como o vinho, azeite, hortaliças, frutas e
lacticínios", disse Vieira e Brito aos profissionais chineses.

Segundo indicou, "as exportações do sector agro-alimentar português
cresceram 7,6% em 2012 e o objectivo, este ano, é atingir "um
crescimento próximo dos dois dígitos".

Vhumana, Lactaçores, Montiquiejo, Queijo Saloio, Bel Portugal, Indulac
e Lactovil são as empresas portuguesas presentes no seminário.

"Queremos transformar a China num dos principais clientes das nossas
exportações alimentares", disse ainda o embaixador de Portugal em
Pequim, Jorge Torres-Pereira.

A exportação para a China de lacticínios e enchidos de carne de porco
portugueses foi um dos temas abordados há um ano, em Pequim, pelo
ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas.

Na altura, Portas anunciou que Portugal já tinha entregue às
autoridades chinesas os dossiers técnicos necessários e admitiu que o
processo de certificação estivesse concluído em 2013.

[actualizada às 11h11]

http://sol.sapo.pt/inicio/Internacional/Interior.aspx?content_id=79047

Sem comentários:

Publicar um comentário