quarta-feira, 6 de março de 2013

China pode destronar América do Sul como fornecedor de farelo de soja


por Ana Rita Costa
5 de Março - 2013
A produção de farelo de soja aumentou nos últimos anos no sudoeste asiático, alcançando uma quota de 20% no comércio total desta oleaginosa em 2012. Até agora a procura deste produto tem sido satisfeita por importações sul-americanas, mas com as produções chinesas seria possível uma poupança de 20% em transporte.


Atualmente, a soja da China não é competitiva porque custa 57 dólares (43 euros) por tonelada, mais cara que a soja da América do Sul.

Um relatório recente da Rabobank prevê três possíveis cenários para o mercado desta oleaginosa. No primeiro cenário esta multinacional de investimentos defende que a China deverá começar a vender soja a um preço mais baixo para capturar mercado. Desta forma, o país aumentaria as suas margens e as exportações seriam mais competitivas.

Como segundo cenário, a empresa acredita que a China poderia tornar-se num exportador mais forte se o governo chinês facilitasse esse processo com medidas fiscais mais benéficas para os produtores, como o reembolso do IVA.

No último cenário a Rabobank sugere que a Índia, que abasteceu o sudoeste asiático com 1,7 milhões de toneladas de soja em 2011, reduza a disponibilidade de soja para exportar para o sudoeste asiático.

http://www.vidarural.pt/news.aspx?menuid=8&eid=7066&bl=1&page=1

Sem comentários:

Publicar um comentário