quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Alimentos recusados por supermercados servidos em jantar da ONU


Lusa
19 Fev, 2013, 19:19 / atualizado em 19 Fev, 2013, 19:22



Feeding the 5.000
Cerca de 100 ministros e personalidades de todo o mundo provaram hoje em Nairobi uma refeição à base de alimentos recusados por supermercados europeus por razões de estética, uma iniciativa destinada a denunciar "o escândalo" desses critérios.
A refeição foi servida aos convidados da cimeira anual do Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA) e incluiu 1.600 quilos de legumes e frutos quenianos rejeitados pelas cadeias de distribuição.

"Nenhum motivo económico, ambiental ou ético pode justificar um desperdício de alimentos desta dimensão", declarou o diretor do PNUA, Achim Steiner, perante os convidados reunidos na sede da organização em Nairobi.

Esta agência das Nações Unidas conduz uma campanha para reduzir a quantidade de alimentos desperdiçados, avaliada em 1,3 mil milhões de toneladas por ano em todo o mundo, e mitigar o impacto negativo deste fenómeno num "sistema de produção alimentar que já atingiu os limites".

Durante o jantar, os ministros do Ambiente e respetivas delegações foram contemplados com um menu vegetariano composto exclusivamente por legumes e frutos com um aspeto considerado insatisfatório pelas cadeias europeias de distribuição alimentar.

Estes produtos, considerados impróprios pela Europa, foram cultivados no Quénia, um importante exportador de frutos e legumes para o continente europeu, em particular para o Reino Unido.

De acordo com a associação "Feeding the 5.000", mais de um terço da produção alimentar mundial é hoje inutilizada, um desperdício que estimula a inflação e contribui para o aquecimento do planeta, quando cerca de mil milhões de pessoas se confrontam diariamente com défice alimentar.

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=629335&tm=7&layout=121&visual=49

Sem comentários:

Publicar um comentário